Método Rapport dentro da Hipnose Ericksoniana

rapport

O conceito de Rapport é originário da psicologia, e é utilizado para designar a técnica de criar uma ligação de empatia com outra pessoa, para que essa se comunique com menos resistência. 

Rapport é uma palavra de origem francesa (rapporter), que significa “trazer de volta” ou “criar uma relação”. Sendo assim, Rapport é a sensação de empatia criada ou surgida espontaneamente entre duas ou mais pessoas.

Para alguns especialistas o conceito de ser empático dentro dos consultórios auxilia na compreensão do indivíduo como um todo e, consequentemente, no desenvolvimento de métodos mais profundos e assertivos durante o tratamento terapêutico.

2º Princípio da Hipnose Ericksoniana

Ser empático é uma forma profunda de se conectar com o paciente, fazendo com que ele se sinta seguro e acolhido. Essa prática visa se colocar de forma completa no lugar do outro e compreender a dor em níveis cognitivos e afetivos.

A filosofia de Milton Erickson é pautada em 3 pilares, um deles é o da confiança entre paciente e profissional, o rapport clínico é um dos meios de se alcançar essa conexão profunda e segura, a fim de que o paciente consiga encontrar as respostas que procura. 

Com o objetivo de ajudar o paciente a encontrar a cura dentro de si, a Hipnose Ericksoniana visa captar por meio da confiança entre o hipnoterapeuta e o paciente os fatores limitantes que impedem o indivíduo de se curar e a partir disso nortear o sistema de resolução de problemas do paciente. 

Os três níveis que compõem a empatia são: Afetivo, cognitivo e reguladores emocionais. Partilhar e compreender os estados emocionais são responsabilidade do afetivo, já o cognitivo refere-se a capacidade de deliberar estados mentais de seus pacientes, enquanto aos reguladores emocionais sobram o grau das respostas empáticas.

O poder do rapport na hipnose clínica

Dentro da hipnoterapia ericksoniana, ser empático se tornou muito mais simples em todos seus aspectos. Isso ocorre pois os terapeutas que voltam suas abordagens a terceira onda da terapia – aquela que compele Milton Erickson, Carl Rogers e outros visionários atuais – focam toda a experiência clínica no rapport, na conexão, no engajamento e no relacionamento cocriado entre o paciente e o terapeuta.

É através da compreensão sistêmica interna e externa dos problemas dos clientes, assim como a compressão de seus campos relacionais, que a abordagem da hipnose clínica, auxilia o profissional a ser empático com qualquer um de seus pacientes, independentemente de qual a dificuldade apresentada.

Por fim, a empatia gerada através dessa prática, acaba ajudando o terapeuta nas seguintes compreensões:

  1. O impacto do trauma e como trabalhá-lo;
  2. Como apoiar a integração;
  3. Como aliviar o cliente para promover a consolidação.

Além disso, a hipnose ericksoniana possui métodos poderosos de tratamento que auxiliam na cura de traumas e até mesmo dores crônicas. Para saber mais, clique aqui.