Descubra como trabalhar a hipnose ericksoniana em atletas

atletas

A Hipnose Ericksoniana é muito eficaz no treinamento de atletas, tanto nas modalidades individuais, quanto em esportes de grupo, como por exemplo: vôlei, futebol, basquete e muito mais. Em competições como as Olimpíadas, é comum que a busca por superação seja o foco – para atletas de todo o mundo – durante os meses de treinos pesados. 

Toda essa busca e preparo por parte dos atletas, podem gerar altos níveis de estresse, fadiga, ansiedade, cansaço físico e mental, principalmente durantes os jogos olímpicos, onde os competidores sofrem uma grande pressão psicológica. 

O método ericksoniano ajuda na forma de lidar com essas pressões, proporcionando segurança e calma, melhorando o desempenho dos atletas ao máximo de sua capacidade. Esse equilíbrio emocional trará reflexos altamente positivos no corpo, resultando em uma melhor performance física e emocional.

Com a hipnoterapia para atletas podemos realizar os seguintes objetivos:

  1. Redução da dor
  2. Controle da ansiedade
  3. Maior foco nos treinamentos
  4. Otimização de desempenho
  5. Reduzir ou findar o medo na hora de competir
  6. Reabilitação de lesões 

Hipnose Ericksoniana no desenvolvimento de foco, auto regulação e controle emocional de atletas

A hipnoterapia ajuda para que atletas se livrem dos fatores de dispersão, auxiliando para que o seu cérebro fique focado integralmente nos treinos e competições, garantindo maior excelência em seu desempenho e menor nível de cansaço físico e mental.

Com a auto regulação é possível que os atletas desenvolvam domínio sobre si, o que significa maior capacidade de absorver as situações adversas e saber lidar com elas, isso permitirá o seu crescimento e desenvolvimento no esporte.

Além do trabalho de reorganização interna, a Hipnose Ericksoniana também oferta uma série de suportes através das estratégias de ancoragem, auto-hipnose e interiorização, permitindo que o atleta consiga estar no controle de suas emoções, não se deixando influenciar pela pressão psicológica durante as competições.

Gostou do artigo? Então não deixe de conferir outros conteúdos como este, clicando aqui.