ACT Institute | O ACT Institute Brasil é o Maior Instituto de Hipnose do mercado e referência internacional em Hipnose Ericksoniana. Dr Stephen Paul Adler, PhD, seu presidente-fundador, é discípulo de Milton Erickson, sendo o único trainer habilitado por ele em toda a América Latina.

COMO PERDER PESO COM A AUTO-HIPNOSE?

Antes de qualquer coisa preciso dizer a você que, se seu foco é perder peso, dificilmente isso acontecerá, e o motivo é simples: as pessoas não gostam de PERDER COISAS, independente do que for. 

Então que tal mudar o foco e o título desse texto para “COMO GANHAR MAIS SAÚDE COM A AUTO-HIPNOSE”? Parece mais agradável e estimulante? Então agora podemos seguir com nosso aprendizado. 

O grande problema com a perda de peso é que ela não é estimulada da melhor forma na mídia, mercados e farmácias.

Fala-se em perder peso, mas como mencionamos anteriormente, ninguém gosta de perder as coisas e quando perde, dá logo um jeito de reencontrar. Por isso tanta gente vive brigando com a balança. 

A verdade é que a sociedade quer que você emagreça, mas não te ajuda a emagrecer. Você liga a TV e passa a propaganda de um sanduíche suculento, saindo fumacinha da carne e com uma combinação infinita de molhos coloridos. Você vai ao mercado e na fila para o caixa você encontra mil opções de chocolates, sorvete, chicletes e outras guloseimas. E se for à farmácia, você não escapa também. Já reparou no conteúdo exposto e proposto para consumo naquele cercadinho onde forma-se a fila do caixa? 

A mídia nos prega peças o tempo todo. Ela nos vende a ideia de que a barra de cereal é saudável, mas não nos diz quanto de açúcares e condimentos existem ali, que são extremamente prejudiciais à nossa saúde. Ela nos vende a ideia da praticidade do suco de caixinha e do pão com presunto e queijo como café da manhã, mas não nos mostra a quantidade de corante, conservantes, açúcares e sódio que existem naqueles produtos. 

Quer outro exemplo simples e que todo final de ano a gente assiste de camarote? As propagandas de refrigerante para as festas de fim de ano. Famílias felizes, de gente magra consumindo copos enormes ou garrafas de refrigerante cheios de conservantes e açúcares. 

Será que se a propaganda fosse feita mostrando a quantidade de cada componente por copo, a gente ainda consumiria refrigerante ou será que faríamos escolhas mais inteligentes para realmente nutrir nosso corpo?

Já parou para imaginar o motivo pelo qual os shakes milagrosos que prometem substituir refeições não causam o efeito prometido? O que será que eles contêm na fórmula? E o que será que parece mais gostoso e prático? Tomar um shake para substituir uma refeição ou comer um sanduíche com molho especial, batata frita e refrigerante?

O mundo está cheio de pessoas com desajustes emocionais decorrentes da vida como ela tem sido nos últimos anos. Muita informação, muita propaganda, muita opção, muito consumo, muita falta de tempo, muita praticidade, 3 segundos para chamar a atenção do seu cliente nas redes sociais, 15 segundos para reter essa atenção, praticidade na alimentação, quanto mais desembala mais prático é para dar tempo de começar a próxima reunião no trabalho…socorro! Aonde a gente vai parar nesse rítmo?

Eu me livrei de 24 kg nos últimos dois anos e eles não voltaram mais. Posso dizer com orgulho que não foi graças à mídia ou a propagandas de shakes emagrecedores. ISSO ACONTECEU COMIGO PORQUE EU FIZ UMA ESCOLHA. Eu escolhi não perder peso, mas sim, ter uma vida mais saudável e mais qualidade de vida. Eu aprendi a balancear minha vida com exercícios, alimentação e conexão com minha mente e aprendi ao longo da minha jornada que nem todos os alimentos são meus amigos.

Quando tratamos os alimentos, independente de quais sejam, como nossos amigos, tendemos a recorrer a eles para tudo na vida: para celebrar um momento de alegria, para nos preencher em um momento de tristeza, para preencher nosso tempo quando estamos à toa… Mas pensa comigo: você recorre a seus amigos a todo instante? Será que todas as pessoas com as quais você se relaciona realmente fazem bem a você?

Aí é que está! Nem todo mundo que você conhece participa o tempo todo da sua vida, e a razão é simples: nem todo mundo vai poder te ajudar. Há aquelas pessoas que tentam ajudar mas só enchem sua cabeça com mais questionamentos, tem aquelas pessoas que mesmo te ajudando não estão realmente interessadas no seu bem estar e tem aquelas que realmente se importam com você, ainda que você não recorra a elas para solucionar um desafio. 

Então se você seleciona seus amigos, os que você tem mais próximos porque realmente te fazem bem, e os que você quer mais distância por nem sempre serem a melhor escolha num momento de dificuldade. Será que você não deveria fazer o mesmo com aquilo que coloca para dentro do seu corpo?

Nem todos os alimentos são seus amigos, então talvez você possa começar a observar e selecionar melhor os que realmente te nutrem e tornam sua vida melhor.

Já pensou como seria ser exatamente do tamanho que você nasceu para ser? Nem maior, nem menor, apenas do tamanho certo para você?

A maioria das pessoas passa a vida toda tentando ser maior ou menor do que nasceu para ser e isso causa conflitos internos imensuráveis que se refletem em distúrbios alimentares muitas vezes gravíssimos que levam a outros problemas de saúde física e emocional. 

A maioria das escolhas que as pessoas fazem quando estão sob efeito de alguma questão emocional, como por exemplo estresse, ansiedade ou até mesmo depressão, elas geralmente optam por fazer escolhas mais “práticas”, mais fáceis, que geram saciedade e prazer momentâneo, sem se preocupar com as consequências dessas escolhas. Como resultado, acabam escolhendo alimentos menos saudáveis, ganham peso e acabam recorrendo a dietas e regimes radicais com o objetivo de emagrecer.

E aí vem outra questão… fazer dieta ou regime pode não ser a melhor forma de você alcançar o objetivo de ser do tamanho que você nasceu para ser. Há muitas dietas e regimes restritivos que não permitem a você ser feliz durante sua jornada de transformação. Por isso, talvez seja mais interessante e eficiente você focar em buscar mais qualidade de vida trilhando a jornada de forma leve, sem restrições extremas, tornando-se consciente de cada etapa dessa renovação do templo da sua alma.

É como dizem: nosso corpo é um templo sagrado, então selecione as oferendas que deposita nele para que ele se mantenha sempre limpo, forte e belo, do tamanho que foi projetado para ser. 

Certa vez realizei um atendimento com uma cliente que me relatou já ter realizado milhões de dietas e passado por muitos momentos de emagrecimento e engorda, tendo como resultado o famoso “efeito sanfona”. 

Durante uma das primeiras sessões de hipnose ericksoniana com essa cliente optei por usar técnicas de regressão com ela para que ela buscasse dentro de si a resposta para sua relação emocional com comidas que ela sabia que não eram saudáveis e ela relatou ter se enxergado no colo de sua avó, comendo coxinha em uma feira e se sentindo muito amada por estar ali naquela situação. 

Ou seja, as lembranças afetivas dessa cliente, de amor, aceitação e aprovação eram vinculadas ao consumo de alimentos como batatinha, salgados fritos, bolachas, que ela sabia que não faziam bem para seu corpo mas que traziam a ela uma sensação de conforto e amor. Então para se sentir vista, reconhecida e valorizada, ela recorria a esses alimentos, por mais que soubesse que eles a engordavam. Seu vínculo emocional com eles era muito maior do que a consciência de que eles estavam inflamando seu corpo. 

A emoção sempre será mais forte do que a razão, e por isso ela tinha essa dificuldade em consumir alimentos mais saudáveis. Mas durante a sessão de regressão, realizamos uma correção na experiência de se sentir amada, e ela passou a experienciar acolhimento e amor mesmo optando por alimentos mais saudáveis. Como consequência ela teve ganhos como aumento da autoestima, redução de peso, aumento da disposição entre outros tantos.

O processo dessa cliente foi relativamente rápido, mas foi um processo dela e cada pessoa tem um tempo único de encontrar resoluções para seus problemas. 

O processo de limpeza do corpo e da mente pode levar tempo, então tenha calma e faça ajustes com amorosidade. Encontre seu jeito, simples e leve de fazer acontecer, porque só você tem a sua história, só você sabe pelo que passou, e só você sabe do que é e não é capaz de abrir mão para conquistar o que sempre sonhou. 

Respeite seu processo e mantenha-se em movimento. Tenho certeza de que grandes conquistas serão alcançadas quando você começar a selecionar melhor as oferendas que faz a si mesmo. 

Uma boa forma de saber o que oferecer a si mesmo é encontrar um lugar tranquilo onde você possa olhar para dentro de si por alguns instantes e perceber seu corpo.

O que você realmente está sentindo? Ansiedade? Medo? Angústia? Euforia? Ou será que realmente está com fome? E se estiver realmente com fome, qual é o tamanho desse sentimento? De quanto alimento seu corpo precisa neste momento para saciar a fome que você está sentindo? E qual será o alimento que vai saciar melhor essa necessidade momentânea?

Se você perceber que a fome seria saciada com um prato de salada por exemplo, mas vem um hambúrguer suculento à sua mente, talvez você possa imaginar esse hambúrguer sendo colocado em uma nuvem branquinha e fofa que está passando e deixá-lo ir embora para um outro momento enquanto você foca em saborear o frescor dessa salada fresquinha de cores tão vivas e convidativas…

Escolhas são como nuvens que passam o tempo todo diante de nossos olhos. Cabe a nós decidir o que tomar para nós e o que deixar ir. Ainda dá tempo de ajustar a rota e ganhar mais saúde. O caminho está aí. Para encontrar, basta você olhar para dentro.

Antes de qualquer coisa preciso dizer a você que, se seu foco é perder peso, dificilmente isso acontecerá, e o motivo é simples: as pessoas não gostam de PERDER COISAS, independente do que for. 

Então que tal mudar o foco e o título desse texto para “COMO GANHAR MAIS SAÚDE COM A AUTO-HIPNOSE”? Parece mais agradável e estimulante? Então agora podemos seguir com nosso aprendizado. 

O grande problema com a perda de peso é que ela não é estimulada da melhor forma na mídia, mercados e farmácias.

Fala-se em perder peso, mas como mencionamos anteriormente, ninguém gosta de perder as coisas e quando perde, dá logo um jeito de reencontrar. Por isso tanta gente vive brigando com a balança. 

A verdade é que a sociedade quer que você emagreça, mas não te ajuda a emagrecer. Você liga a TV e passa a propaganda de um sanduíche suculento, saindo fumacinha da carne e com uma combinação infinita de molhos coloridos. Você vai ao mercado e na fila para o caixa você encontra mil opções de chocolates, sorvete, chicletes e outras guloseimas. E se for à farmácia, você não escapa também. Já reparou no conteúdo exposto e proposto para consumo naquele cercadinho onde forma-se a fila do caixa? 

A mídia nos prega peças o tempo todo. Ela nos vende a ideia de que a barra de cereal é saudável, mas não nos diz quanto de açúcares e condimentos existem ali, que são extremamente prejudiciais à nossa saúde. Ela nos vende a ideia da praticidade do suco de caixinha e do pão com presunto e queijo como café da manhã, mas não nos mostra a quantidade de corante, conservantes, açúcares e sódio que existem naqueles produtos. 

Quer outro exemplo simples e que todo final de ano a gente assiste de camarote? As propagandas de refrigerante para as festas de fim de ano. Famílias felizes, de gente magra consumindo copos enormes ou garrafas de refrigerante cheios de conservantes e açúcares. 

Será que se a propaganda fosse feita mostrando a quantidade de cada componente por copo, a gente ainda consumiria refrigerante ou será que faríamos escolhas mais inteligentes para realmente nutrir nosso corpo?

Já parou para imaginar o motivo pelo qual os shakes milagrosos que prometem substituir refeições não causam o efeito prometido? O que será que eles contêm na fórmula? E o que será que parece mais gostoso e prático? Tomar um shake para substituir uma refeição ou comer um sanduíche com molho especial, batata frita e refrigerante?

O mundo está cheio de pessoas com desajustes emocionais decorrentes da vida como ela tem sido nos últimos anos. Muita informação, muita propaganda, muita opção, muito consumo, muita falta de tempo, muita praticidade, 3 segundos para chamar a atenção do seu cliente nas redes sociais, 15 segundos para reter essa atenção, praticidade na alimentação, quanto mais desembala mais prático é para dar tempo de começar a próxima reunião no trabalho…socorro! Aonde a gente vai parar nesse rítmo?

Eu me livrei de 24 kg nos últimos dois anos e eles não voltaram mais. Posso dizer com orgulho que não foi graças à mídia ou a propagandas de shakes emagrecedores. ISSO ACONTECEU COMIGO PORQUE EU FIZ UMA ESCOLHA. Eu escolhi não perder peso, mas sim, ter uma vida mais saudável e mais qualidade de vida. Eu aprendi a balancear minha vida com exercícios, alimentação e conexão com minha mente e aprendi ao longo da minha jornada que nem todos os alimentos são meus amigos.

Quando tratamos os alimentos, independente de quais sejam, como nossos amigos, tendemos a recorrer a eles para tudo na vida: para celebrar um momento de alegria, para nos preencher em um momento de tristeza, para preencher nosso tempo quando estamos à toa… Mas pensa comigo: você recorre a seus amigos a todo instante? Será que todas as pessoas com as quais você se relaciona realmente fazem bem a você?

Aí é que está! Nem todo mundo que você conhece participa o tempo todo da sua vida, e a razão é simples: nem todo mundo vai poder te ajudar. Há aquelas pessoas que tentam ajudar mas só enchem sua cabeça com mais questionamentos, tem aquelas pessoas que mesmo te ajudando não estão realmente interessadas no seu bem estar e tem aquelas que realmente se importam com você, ainda que você não recorra a elas para solucionar um desafio. 

Então se você seleciona seus amigos, os que você tem mais próximos porque realmente te fazem bem, e os que você quer mais distância por nem sempre serem a melhor escolha num momento de dificuldade. Será que você não deveria fazer o mesmo com aquilo que coloca para dentro do seu corpo?

Nem todos os alimentos são seus amigos, então talvez você possa começar a observar e selecionar melhor os que realmente te nutrem e tornam sua vida melhor.

Já pensou como seria ser exatamente do tamanho que você nasceu para ser? Nem maior, nem menor, apenas do tamanho certo para você?

A maioria das pessoas passa a vida toda tentando ser maior ou menor do que nasceu para ser e isso causa conflitos internos imensuráveis que se refletem em distúrbios alimentares muitas vezes gravíssimos que levam a outros problemas de saúde física e emocional. 

A maioria das escolhas que as pessoas fazem quando estão sob efeito de alguma questão emocional, como por exemplo estresse, ansiedade ou até mesmo depressão, elas geralmente optam por fazer escolhas mais “práticas”, mais fáceis, que geram saciedade e prazer momentâneo, sem se preocupar com as consequências dessas escolhas. Como resultado, acabam escolhendo alimentos menos saudáveis, ganham peso e acabam recorrendo a dietas e regimes radicais com o objetivo de emagrecer.

E aí vem outra questão… fazer dieta ou regime pode não ser a melhor forma de você alcançar o objetivo de ser do tamanho que você nasceu para ser. Há muitas dietas e regimes restritivos que não permitem a você ser feliz durante sua jornada de transformação. Por isso, talvez seja mais interessante e eficiente você focar em buscar mais qualidade de vida trilhando a jornada de forma leve, sem restrições extremas, tornando-se consciente de cada etapa dessa renovação do templo da sua alma.

É como dizem: nosso corpo é um templo sagrado, então selecione as oferendas que deposita nele para que ele se mantenha sempre limpo, forte e belo, do tamanho que foi projetado para ser. 

Certa vez realizei um atendimento com uma cliente que me relatou já ter realizado milhões de dietas e passado por muitos momentos de emagrecimento e engorda, tendo como resultado o famoso “efeito sanfona”. 

Durante uma das primeiras sessões de hipnose ericksoniana com essa cliente optei por usar técnicas de regressão com ela para que ela buscasse dentro de si a resposta para sua relação emocional com comidas que ela sabia que não eram saudáveis e ela relatou ter se enxergado no colo de sua avó, comendo coxinha em uma feira e se sentindo muito amada por estar ali naquela situação. 

Ou seja, as lembranças afetivas dessa cliente, de amor, aceitação e aprovação eram vinculadas ao consumo de alimentos como batatinha, salgados fritos, bolachas, que ela sabia que não faziam bem para seu corpo mas que traziam a ela uma sensação de conforto e amor. Então para se sentir vista, reconhecida e valorizada, ela recorria a esses alimentos, por mais que soubesse que eles a engordavam. Seu vínculo emocional com eles era muito maior do que a consciência de que eles estavam inflamando seu corpo. 

A emoção sempre será mais forte do que a razão, e por isso ela tinha essa dificuldade em consumir alimentos mais saudáveis. Mas durante a sessão de regressão, realizamos uma correção na experiência de se sentir amada, e ela passou a experienciar acolhimento e amor mesmo optando por alimentos mais saudáveis. Como consequência ela teve ganhos como aumento da autoestima, redução de peso, aumento da disposição entre outros tantos.

O processo dessa cliente foi relativamente rápido, mas foi um processo dela e cada pessoa tem um tempo único de encontrar resoluções para seus problemas. 

O processo de limpeza do corpo e da mente pode levar tempo, então tenha calma e faça ajustes com amorosidade. Encontre seu jeito, simples e leve de fazer acontecer, porque só você tem a sua história, só você sabe pelo que passou, e só você sabe do que é e não é capaz de abrir mão para conquistar o que sempre sonhou. 

Respeite seu processo e mantenha-se em movimento. Tenho certeza de que grandes conquistas serão alcançadas quando você começar a selecionar melhor as oferendas que faz a si mesmo. 

Uma boa forma de saber o que oferecer a si mesmo é encontrar um lugar tranquilo onde você possa olhar para dentro de si por alguns instantes e perceber seu corpo.

O que você realmente está sentindo? Ansiedade? Medo? Angústia? Euforia? Ou será que realmente está com fome? E se estiver realmente com fome, qual é o tamanho desse sentimento? De quanto alimento seu corpo precisa neste momento para saciar a fome que você está sentindo? E qual será o alimento que vai saciar melhor essa necessidade momentânea?

Se você perceber que a fome seria saciada com um prato de salada por exemplo, mas vem um hambúrguer suculento à sua mente, talvez você possa imaginar esse hambúrguer sendo colocado em uma nuvem branquinha e fofa que está passando e deixá-lo ir embora para um outro momento enquanto você foca em saborear o frescor dessa salada fresquinha de cores tão vivas e convidativas…

Escolhas são como nuvens que passam o tempo todo diante de nossos olhos. Cabe a nós decidir o que tomar para nós e o que deixar ir. Ainda dá tempo de ajustar a rota e ganhar mais saúde. O caminho está aí. Para encontrar, basta você olhar para dentro.