ACT Institute | O ACT Institute Brasil é o Maior Instituto de Hipnose do mercado e referência internacional em Hipnose Ericksoniana. Dr Stephen Paul Adler, PhD, seu presidente-fundador, é discípulo de Milton Erickson, sendo o único trainer habilitado por ele em toda a América Latina.

CONGELAMENTO CLÍNICO – PARTE 5

Na aplicação das estratégias ericksonianas os terapeutas são convidados a dois tipos de ajustes: ressonância e coerência.

Como já especificado em textos anteriores sobre o “congelamento clínico”, ressonância faz menção ao ajuste que realizamos da estratégia, deixando afim ao perfil do cliente (linguagem, crenças, modelos de felicidade, forma como relata o próprio problema, atividades, etc.)

Sempre que ajustamos a linguagem das estratégias, levando em consideração as referências que se alinham ao perfil do cliente, a experiência clínica irá proporcionar uma “experiência de familiaridade” e, como consequência, um aumento da condição daquela estratégia, repercutir em seu mundo interno (tendemos a nos abrir mais com as mensagens que se conectam com nossas referências internas).

Já a coerência refere-se a relação existente entre a informação que está presente na estratégia, e as necessidades profundas que se encontram na base das demandas clínicas de nossos clientes.

Dessa forma, sempre que compartilhamos estratégias ericksonianas, obedecidas as condições que foram anteriormente enunciadas nos textos dessa série, e ela gerar resistências impeditivas ao progresso clínico, provavelmente a forma como os estímulos foram compartilhados não se ajustam no caráter de ressonância e\ou coerência dos clientes.

Esse desalinhamento com as informações profundas, que estão na base do que ele sente, pensa e faz, é uma das questões mais importantes no trabalho clínico ericksoniano e hoje, pretendo abordar seus três aspectos importantes: necessidade, direcionamento e ritmo.

PRIMEIRO NÍVEL DE AJUSTE POR COERÊNCIA: NECESSIDADE.

A Hipnoterapia ericksoniana é uma estratégia de cura que utiliza a linguagem hipnótica e os estados de transe para ativar as resposta do inconsciente, visando reestruturar experiências mal resolvidas e potencializar o desenvolvimento de recursos.

O que desejamos é que as associações que serão ativadas, na mente inconsciente, possam gerar e levar informações (carregadas de perspectivas mais amplas e emoções de empoderamento) dentro dos elementos internos de dor e sofrimento, reestruturando tais experiências.

Também existe como proposta, mobilizar condições internas que favoreçam não apenas a motivação, mas o processo inspiracional, na trajetória do desenvolvimento de novas habilidades, sejam elas cognitivas, afetivas, relacionais, etc.

Na base das demandas que os clientes apresentam no espaço clínico, existe um conjunto de significados que, quando conscientizados, nos ajudam a compreender a reais necessidades de cura e de desenvolvimento pessoal.

Por essas informações profundas não estarem claras e, como consequência disso, sendo trabalhadas uma experiência de estagnação que gera percepções limitantes quanto a si mesmo e sua capacidade de resolução de problemas.

O que buscamos em Hipnose ericksoniana é potenciar as informações curativas da mente inconsciente, visando nutrir tais necessidades profundas e promover bem estar interior e amadurecimento vital.

Quando as estratégias, as mensagens que elas carregam, confeccionadas de forma indireta, levam o mesmo tema de tais necessidades que estão como aspectos que o sistema do cliente quer que sejam reconhecidos e trabalhados, esse encontro, promove um fluxo de terapêutico gerador de experiência criativa e transformacional.

Simples: o que acontece nesse momento é que os recursos do sistema do cliente são ativados, melhorados e criados para atender as necessidades profundas que congelaram a vida da pessoa, por não ter sido cuidado durante sua experiência de vida.

Mas, da mesma forma, que as estratégias alinhadas com as necessidades, geram potencialização do processo, as que não estão, carregando informações desalinhadas com os temas das demandas dos clientes, tendem a gerar um desconforto , como fruto do alimento que está sendo servido, não estar alinhado com o que a fome do cliente quer comer.

Para compreendermos as mensagens que deverão constar em nossas sugestões indiretas, torna-se necessário explorar as informações implícitas das dores e alegrias do mesmo.

Essas informações, quando exploradas, por diversas vias (felt-sense e felt-meaning, perguntas associativas, simbolização do implícito, etc…), auxiliam a construir roupas no corpo invisível dos significados, ou seja, traz clareza quanto aos significados que estão na base das emoções, pensamentos e ações que o cliente quer trabalha e\ou construir.

A exploração desses significados oferta consciência tanto do que a fome do cliente quer comer (informação de empoderamento), quanto sobre a forma em que seu sistema pede, para que seja realizada essa nutrição (a forma como seu sistema sente que seja necessário para que sua necessidade seja nutrida).

Tal forma, ou como gostamos de dizer, tal processo, que suas resoluções são construídas, para gerar condições de entrar em contato com uma informação que toca a necessidade interna do cliente, faz referência ao segundo tópico de ajuste de coerência da estratégia, que chamamos de direcionamento.

SEGUNDO NÍVEL DE AJUSTE POR COERÊNCIA: DIRECIONAMENTO

O direcionamento é a forma como o sistema do seu cliente pede e se sente confortável, para que sua necessidade seja construída, vivenciada e nutrida.

Por exemplo, ao explorar um medo, em seu significado implícito, e reconhecermos que o mesmo tinha em sua exploração profunda, um sentimento de “não ter sido validado”, por ter vivenciado uma ausência de cuidado e amor, nós já reconhecemos nessas informações, duas condições importantíssimas para pensarmos as mensagens que deverão estar presentes nas sugestões: valor e ser cuidada e amada.

Valor faz referência a necessidade do cliente: sentir que sua vida tem valor, que sua existência é validada, que o mesmo tem espaço e merece viver… essa é a necessidade profunda que está na base do seu medo.

Mas como vamos fazer isso? O que e como ele precisa vivenciar uma experiência dentro da hipnose, que faria com que seu sistema, reconhecesse que sua vida possuí valor e que ele merece viver a própria vida?

Usando as informações que o próprio sistema do cliente informou, elaboraremos essa charada: vivenciar experiências de ser cuidado e amado… tal direcionamento irá gerar condições para ele construir aprendizagens internas, que irão curar e construir fatores importantíssimos que ficaram ausentes no seu desenvolvimento vital.

Entenderam o que seja direcionamento?

Direcionamento é o caminho ou processo, que o sistema do cliente pede, para que ao ser vivenciado, gere a uma experiência importante, de uma forma que lhe seja importante, para conseguir nutrir uma necessidade que ficou aberta e\ou machucada.

Ao construir as estratégias você irá verificar dois fatores:

  1. Se de forma indireta, o conteúdo da mesma, é uma nutrição para a necessidade do cliente
  2. Se o que ela gera, proporciona um processo, um direcionamento, que é a forma como o sistema do cliente gostaria de estar nutrindo tal necessidade.

A ausência do direcionamento certo, também é uma característica, para proporcionar estagnação do processo do cliente, como se o sistema do mesmo se recusasse a ir, por caminhos não se conectam com a forma que é lhe seja necessário.

TERCEIRO NÍVEL DE AJUSTE POR COERÊNCIA: RITMO

Esse nível de ajuste da sua intervenção pode também gerar estagnação clínica, pois o mesmo, quando não conectado ao ritmo de aprendizagem e mudança do cliente, proporciona ou uma sobrecarga, ou uma desmotivação.

A sobrecarga sempre será efeito de uma quantidade excessiva de informação, ou de um ritmo de que imprimimos no processo clínico, que vai além das condições atuais do cliente lidar com as informações terapêuticas e gerar mudanças… indo além, gera sobrecarga!

A desmotivação pode ser um indicador de que as informações que a quantidade de informações terapêuticas são escassas às atuais necessidades da pessoa e\ou que seu sistema tem maiores condições para o processamento da aprendizagem, exigindo um ritmo mais acelerado.

De qualquer forma, avaliar a quantidade e a velocidade do processo clínico, verificando se estão ajustadas com o ritmo do cliente, permite um nível de conexão interventiva que cria as condições propícias, para o mesmo avançar em suas resoluções internas.

Newsletter ACT

Ao informar e enviar os meus dados eu aceito receber comunicados do ACT Institute, e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade.

 

ACT nas mídias sociais