O artigo de hoje vai falar especialmente da cura da raiva, dessa que pode ser uma das maiores causas da nossa inflamação psicológica.

A sua raiva está te dominando? Muitas vezes esquecemos de agir, mesmo sabendo que ao longo do tempo a inflamação pode promover efeitos como: doenças cardíacas, diabetes, câncer, artrite, asma, alzheimer, dores nas costas, dores na junta, fibromialgia, distúrbios estomacais, doença de Cronos, colite, isto para citar somente alguns.

Nossos sentimentos negativos quando persistentes ao longo do tempo, produzem os mesmos resultados físicos que alimentos fritos, processados, massas, pão branco, gorduras trans, álcool, MSG e glúten. De ainda maior importância é nossa tendência à raiva, que rapidamente se transforma em uma tempestade psicológica, resultando em sérios níveis de inflamação em nosso corpo.

Malefícios da raiva

A raiva é um ácido que pode fazer mais mal ao recipiente em que é armazenado do que a qualquer coisa sobre a qual é derramado. Algumas dessas emoções negativas incluem: sentir-se ignorado, sem importância, acusado, culpado, não confiável, desvalorizado, rejeitado, impotente, inútil ou simplesmente não apto para o contato humano.

Qualquer uma dessas emoções minam nossos sentimentos de auto-estima. A menos que possamos nos auto-validar e saber que merecemos ser ouvidos e valorizados, caso contrário caímos na culpa ou na vergonha, o que só nos faz sentir pior.

Quanto mais raiva expressamos, mais podemos nos distrair de nossa inflamação psicológica interna, isso acontece na tentativa de evitar as feridas profundas e os lugares feridos que existem na maioria de nós.

O ressentimento e o sentimento de aprisionamento em suas respostas emocionais servem para estreitar suas perspectivas. A raiva quando se justifica pode tomar conta de sua vida, especialmente se você se sentir incompreendido e injustiçado.

A raiva SINTOMÁTICA muitas vezes encobre o que realmente está acontecendo. Ela serve como uma grande distração que nos permite evitar nossa dor emocional, feridas antigas e os níveis mais profundos de dor.

Diminua a sua raiva

Vamos listar abaixo algumas medidas que você pode fazer nos momentos de raiva para que ele diminua e não cause tantos estragos:

1.Conte lentamente de 1 a 10.

2. Respire confortavelmente, expirando um pouco mais do que você inspira.

3. Mude sua respiração de modo que você respire através de seu coração, isso mesmo e expire através de seu plexo solar.

4. Ative um genuíno sentimento de apreciação ou cuidado por alguém ou algo em sua vida. Você pode ver, sentir, imaginar, criar ou lembrar alguém ou algo que lhe seja querido. Enquanto você se lembra, coloque sua mão sobre seu coração. Pense em qual atitude seria mais produtiva do que a raiva? Você saberá que atitude produz uma maior sensação de paz interior e harmonia do que sua raiva.

5. Faça um esforço sincero para sustentar sentimentos de apreciação ou algum cuidado enquanto dirige esses sentimentos para si mesmo e para os outros.

6. Quando você se percebe vagando mentalmente, gentilmente foque em sua respiração.

7. Lembre-se de respirar através de seu coração e expirar através de seu plexo solar enquanto se mantém conectado a sentimentos de cuidado ou apreciação.

8. Repita este mantra nos momentos de raiva: ABENÇOA-OS, MUDA-ME…ABENÇOA-OS, MUDA-ME. Somente outra pessoa pode escolher mudar. Eles são como são, podem não desejar ou pensar que precisam mudar. Abençoe-os, use seu poder para se tornar mais, use sua energia para mudar sua resposta e assim mudar-me, mudar-me.

Gostou do artigo, acha que ele pode ser útil para outras pessoas? Então não deixe de compartilhar com seus amigos! E para acesso a mais dicas e aprendizados, basta clicar aqui.