Facebook
HIPNOSE ERICKSONIANA

 

Terapia Breve e Hipnose

Betty Alice Erickson
Workshop da Guatemala de 1990

A terapia estratégica breve e a hipnose são interligadas. A hipnose ajuda a criar mudanças rápidas. Os transes formais podem facilmente se tornar uma ferramenta utilizada pela terapia breve e estratégica. Estados de transe conversacionais ou naturalísticos podem ser desenvolvidos facilmente dentro dos enquadramentos da terapia breve e estratégica, assim como das terapias cognitivas e comportamentais. (A hipnose conversacional é a arte de utilizar todas as estratégias Ericksonianas, empregadas geralmente no transe formal, para criar um estado receptivo de transe nas pessoas enquanto simplesmente se conversa com elas. Isto é diferente de um transe formal, o qual envolve um hipnoterapeuta colocando um cliente aquiescente em transe utilizando-se das estratégias, enquanto o cliente está sentado ou deitado, de olhos fechados, etc. O foco básico do transe conversacional ou naturalístico é criar uma interação verbal, durante a qual o hipnoterapeuta sugere ao sujeito possibilidades que alterarão sua percepção da situação ou problema e promoverão uma resolução positiva durante uma conversa ‘comum’).

Semelhanças e Premissas em Comum; terapia breve e hipnose.

Relacionamento: O relacionamento é de cooperação. A terapia tanto pode ser uma “palestra” educacional e informativa, como pode ser um esforço cooperativo. Cooperação implica em confiança, diálogo e criatividade compartilhados. O cliente é um parceiro na terapia e no desenvolvimento do transe. A situação é uma co-criação.

Metas: Metas são soluções. Soluções são expansões de situações de vida, que proporcionam opções produtivas e manipulam– ou mudam– perspectivas. Os recursos do cliente são pressupostos, utilizados e se tornam parte da solução. O futuro é antecipado como parte da solução. O passado é considerado, mas apenas as partes úteis do passado são trazidas adiante para o futuro.

Mudança: Não há “pré-requisitos” nem para o transe, nem para a mudança. Todas as pessoas podem mudar e todas as pessoas estão mudando. Essa é uma constante da vida. A terapia identifica as mudanças positivas com o intuito de amplificá-las. Entender porque a mudança acontece não é necessário para mudar. O transe acontece naturalmente na vida. Estados de transe deliberados ajudam as pessoas a identificarem recursos positivos para criar mudanças positivas. Compreender ‘como’ o transe funciona não é necessário para o transe.
Significado: Significados são criados pelo contexto, pelas percepções, pelo seqüenciamento, pela retroalimentação (feedback), e pelas experiências e aprendizagens passadas. Dentro das interações terapêuticas co-criadas os significados se tornam mais flexíveis e expansivos. O transe cria experiências interiores que aumentam a flexibilidade e a expansividade, e também cria um significado próprio.
Soluções: As soluções são sempre maiores, mais inclusivas e mais “majestosas” do que eram os problemas. Quase sempre incluem múltiplas idéias, múltiplos recursos e múltiplas respostas. Elas com freqüência, como resultado das múltiplas idéias, etc. criam soluções para outros problemas que talvez não estejam relacionados a problemas com os quais se estava trabalhando e elas quase sempre criam uma atmosfera de competência e de habilidades ampliadas. Os estados de transe ajudam as pessoas a expandirem as soluções e habilidades conscientes ao criarem uma comunicação com as habilidades e recursos inconscientes.

Transe: O transe convida a mente a pensar e a criar. Esse pensar e criar dá às pessoas maneiras de compreender em diferentes níveis, e formas de fazer as pazes com os problemas e dores da vida. O transe permite que as pessoas façam trabalho psicoterapêutico consigo mesmas. Ideias apresentadas na terapia podem se tornar parte das habilidades inconscientes e conscientes da pessoa.

 

© ACT Institute 2011-2016. Todos os direitos reservados