Toda pessoa é única e cria a sua própria metáfora. O hipnotizador se alia a essa metáfora, se movimenta com ela e a guia. Mas antes, precisamos entender porque o uso das metáforas são importantes e permitem que você se conheça mais profundamente.

Quando pensamos em uma história, pensamos em uma narrativa que tem um significado, cada uma delas tem sua singularidade.  

O paciente ao chegar no consultório já tem uma metáfora interna que reflete o que ele está vivenciando, sua necessidade, sua dor e sofrimento. O hipnoterapeuta aprende a se movimentar no contexto dessa história que já está em processo no paciente, se conectando com a singularidade do paciente e vai aprendendo o significado da sua dor e sofrimento.  

Metáfora do processo de cura

A bússola interna do paciente, já tem ali em potencial uma outra história com significado que de alguma maneira se transitarmos com ela e potencializarmos, vamos mobilizar recursos para que o paciente possa fazer as construções terapêuticas necessárias.

Esse princípio refere-se a um contexto que o paciente possui, singular e único, que tem um significado que mostra o que ele está passando e de como sua bússola interna está mobilizando para a direção e ritmo que vai auxiliar no processo de construções internas. 

Metáforas

As metáforas proporcionam que você perceba sua vida de uma maneira nova, ela é indispensável, a evolução humana consciente se deu por meio de metáforas, já que a nossa linguagem é cheia delas.

Estudos apontam que usamos metáforas a cada um minuto em uma conversa rotineira. Elas são tão comuns ao nosso dia a dia que nem percebemos o quanto a utilizamos, mas que estão registradas no nosso inconsciente, por exemplo:

“Estou sempre dando murro em ponta de faca”

“Eu carrego o mundo nas costas”

“Existe uma luz no fim do túnel”

Essas expressões, dentre outras várias, são metáforas. Em nosso consciente sabemos que não existe nenhuma faca, que não suportaríamos tal peso e muito menos que estamos em um túnel. Nós temos um mecanismo que registra a forma figurativa de cada expressão, entendendo seu simbolismo e ilustrando uma situação. 

Dentro de nós sabemos que a faca, as costas, o mundo, a luz e o túnel, representam experiências e sentimentos, como a insistência sem resultados esperados, a carga de responsabilidade sentida, a esperanças em meio às dificuldades, e por aí vai. 

Cada pessoa cria para si metáforas que externem seus mais sinceros e profundos sentimentos, elas são capazes de expressar com clareza a complexibilidade e profundidade de uma ideia ou experiência de vida. Muitas vezes a pessoa nem sabe direito que existe algum problema ou trauma, mas passa a entender depois das metáforas. 

A Hipnose Ericksoniana utiliza de estímulos indiretos, fazendo com que o inconsciente responda com maior probabilidade, por isso, todo o seu método é pautado em cima de sugestões indiretas. 

Por sua forte característica altamente simbólica, as metáforas se transformam em um instrumento poderoso para fazer o paciente acessar, através de sua experiência interna, grandes informações transformativas que emergem do inconsciente.

Milton Erickson foi o psiquiatra responsável por apresentar essa nova perspectiva e dar início a terceira onda da psicoterapia. É por meio de seus estudos que diversos pacientes tiveram suas vidas transformadas em sessões inovadoras de hipnoterapia.

Quer saber em que mais a Hipnose Ericksoniana pode te ajudar? Clique aqui e saiba mais.