Quando falamos em regressão ou terapia de vidas passadas (TVP) muitas pessoas ficam com pé atrás. Seja por acharem que regressão é algo inventado ou por não acreditarem em vidas passadas e duvidarem da eficácia do método.

História de como foi criado:

Inicialmente, a Terapia de Vidas Passadas (TVP) foi criada pelo doutor em psicologia Morris Netherton. Ele desenvolveu, em 1967, um método que chamou de Hipnose Ativa. No começo, existia uma conotação espiritual – pois o criador realmente acreditava na existência de reencarnação e na possibilidade de relembrar vidas passadas com a técnica.

Apesar da polêmica, com o passar do tempo muitos terapeutas abandonaram essas possibilidades e focaram no uso da regressão para lembrar momentos passados da vida infantil e até memórias intra-uterinas.

Portanto, a maior parte do trabalho terapêutico compreende em liberar algo que ficou bloqueado no passado, preso no inconsciente do paciente… Este peso, levado para a vida atual, acaba sendo aliviado a medida que é melhor assimilado através das sessões. Esse é o objetivo deste tipo de terapia.

TVP no Brasil

Em nosso país, a técnica possui várias abordagens. Dos grupos que as praticam em grande escala, temos duas mentalidades principais. Por exemplo, a do Instituto Nacional de Terapia de Vivências Passadas (INTVP) não foca no aspecto espiritual, preferindo prender-se, apenas em aspectos psicológicos do indivíduo.

Outra abordagem é a da SBTVP ( Sociedade Brasileira de Terapia de Vidas Passadas), que procura colocar a TVP em um nível mais kármico, levando em consideração a missão de vida do atendido.

Como funciona na prática?

Independente da crença de cada método, ele sempre envolverá uma sessão onde o paciente é colocado em estado hipnótico.

Posso ficar preso neste estado?

Apesar do que é mostrado nos filmes, você não se mantém em um “sonho mega realista”, do qual terá dificuldades em acordar.

Serei capaz de lembrar de tudo nos mínimos detalhes?

Sabe aquela cena de filme ou série onde o personagem não consegue lembrar da fórmula química que estava escrito na lousa do pai cientista, que, por acaso, ele acabou olhando há 15 anos atrás, aí chega um terapeuta e o coloca em transe para… puf, fazer ele enxergá-la em detalhes?


Bem, sinto dizer, mas esse é mais um mito criado por Hollywood. Não vai acontecer de você ver tudo como um filminho… Muito menos “travar” a memória para ver melhor ou qualquer dessas coisas comuns em séries.

Por que a Hipnose Ericksoniana é a melhor abordagem?

Para o método Ericksoniano, cada paciente é único, restando ao terapeuta se adaptar a cada situação. Levando em conta todos os aspectos únicos do indivíduo em tratamento: Como valores, crenças e linguagem, esse método possibilita uma abertura bem maior que em outras abordagens.

Inclusive, é muito comum terapeutas Ericksonianos utilizarem a TVP como metáfora e história para fazer o paciente enfrentar os próprios traumas.

Quais problemas podem  ser tratados com regressão?

Entre os principais, podemos citar como alguns exemplos:

  • Depressão;

  • Fobias (de altura, lugares fechados, falar em público);

  • Dores sem explicação;

  • Distúrbios psicossomáticos (úlcera gástrica, alergias);

  • Síndrome do pânico;

  • Ansiedade e estresse;

  • Problemas sexuais (impotência, ejaculação precoce, perda de libido);

  • Problemas de sono;

  • Dificuldades de relacionamento;

  • Vícios (álcool, cigarro).


No Brasil, a maior e melhor referência em Hipnose Ericksoniana é o ACT INSTITUTE, fundado por Stephen Paul Adler, Ph.D. em Psicologia e Pós-doutor em Estresse pós-traumático, com mais de 50 anos de experiência em práticas clínicas.

Gostou do nosso conteúdo? Deixe nos comentários a sua opinião!
Fique por dentro e receba, em primeira mão, outros temas relacionados à hipnose ericksoniana, assinando nossa newsletter!