Você já pensou sobre a influência do seu inconsciente na sua rotina diária? A princípio a pergunta pode parecer estranha, mas a verdade é que suas escolhas, feitas conscientemente, são influenciadas por padrões automáticos, já estabelecidos no seu inconsciente.

Segundo pesquisadores, a nossa mente consciente atua mais como elucidadora de nossas ações, o que, em termos gerais, significa que nossa consciência, ao invés de provocar a ação em si, tentará criar caminhos que expliquem o porquê de nossas iniciativas, logo após o fato consumado.

Diante disso, pense em suas decisões, importantes ou corriqueiras, como um grande iceberg, com uma pequena fração visível de decisão consciente e a grande parte submersa, como uma base muito maior de hábitos e comportamentos.

E a força da mente insconciente não se restringe apenas às decisões. Como o inconsciente é formado por pensamentos não lineares, há possibilidade de duas ideias opostas, que coexistem ao mesmo tempo e no mesmo lugar, cooperarem entre si para criar uma nova perspectiva sobre determinada situação.

E, foi baseado nessa força que Milton H. Erickson revolucionou as abordagens da hipnoterapia. Ele notou que os pensamentos não lineares são como uma porta que conecta-se, diretamente, com o inconsciente e que possibilita oferecer informações adicionais, com o fim de ajudar a reformular, atualizar e melhorar padrões de comportamento. Como resultado de suas pesquisas, Erickson desenvolveu a Hipnose Ericksoniana, método reconhecido como uma das ferramentas mais importantes para tratamentos de questões da mente.

A intervenção não linear, que caracteriza o método, é realizada como meio de informar a mente inconsciente, mas nunca como meio de impor o ponto de vista do terapeuta; é a partir dela que o paciente será motivado a desenvolver, sob orientação, novos caminhos associativos que permitirão reorganizar, de maneira mais produtiva e positiva, antigos comportamentos.

A eficiência da abordagem é de tal força que uma pequena variação já é o suficiente para fazer com que todo o sistema inconsciente busque uma nova reconfiguração mais produtiva. É claro que, para o terapeuta ou facilitador, leva tempo para possuir a prática e o aprendizado necessários para sentir-se confortável com o processo inconsciente não linear. Por isso, aconselho que todos comecem agora e pratiquem, pratiquem, pratiquem.