Mitos e verdades sobre a super máquina chamada cérebro

 

Entre neurônios e sinapses, o cérebro humano é, sem sombra de dúvidas, o sistema mais evoluído, complexo e intrigante existente na face da terra. Dentre seus mais de 100 bilhões de neurônios e 100 trilhões de contatos existe muito mais coisas que nossa vã filosofia nos permite saber.

Não acredita? Se criássemos um computador com o mesmo número de conexões que o cérebro possui, a máquina consumiria 60 milhões de watts por hora, segundo uma estimativa de cientistas da Universidade Stanford. Traduzindo para a realidade, esse número é o equivalente a quatro usinas de Itaipu trabalhando simultaneamente.

O cérebro não é composto apenas de complexidade, mas de mistério, também. Um dos maiores enigmas referente ao assunto e que o ser humano ainda não desvendou tem relação com o avanço do sistema nervoso. Apesar de, durante a evolução, o homem ter adquirido uma quantidade notável de novos genes em comparação aos genes de seus ancestrais primatas, ela ainda é muito pequena para justificar tamanho salto evolutivo.

Teorias à parte, o cérebro não deixa de surpreender a cada momento. Se um dia conseguirmos desenvolver uma máquina de ponta, com o máximo de evolução aplicada, ela ainda não conseguiria igualar-se ao cérebro. Então, aproveite e utilize ao máximo seu “computador” pessoal. Só ele poderá gravar cada segundo da sua vida, memorizar suas informações mais importantes e acessá-las, ao mesmo tempo, em questão de segundos.

E, se você já está fascinado, então, adorará checar se seu conhecimento sobre ele é verdadeiro ou falso.

1) Só utilizamos 10% da nossa capacidade cerebral.
MENTIRA. Tal número é frequentemente porém não comprovado já que o potencial do órgão é imensurável e ainda desconhecido. Outro fator a ser levado em consideração é que o percentual da capacidade cerebral dependerá diretamente do tipo de atividade realizada.

2) A prática de exercícios físicos favorecerá o cérebro na velhice.
VERDADE. Diversos estudos internacionais e nacionais relacionam a prática de atividade física regular com melhores índices cognitivos na terceira idade. A prática do exercício, quando feito com seriedade, ajuda a proteger o cérebro e retardar e amenizar os sintomas de doenças degenerativas, ocasionando resultados positivos em pessoas que começaram a exercitar-se em idade avançada e em pacientes com esquecimentos e formas iniciais de doença de Alzheimer.

3) Exercitar o cérebro nos torna mais inteligentes.
VERDADE. A realização constante de exercícios para a mente permite que o cérebro fique mais rápido, cometa menos erros e crie atalhos mentais. Pessoas que exercitam a mente no dia a dia, seja no trabalho ou com atividades recreativas, estão mais protegidas contra sintomas como falta de atenção, esquecimento e baixo rendimento intelectual.

4) Dor de cabeça tem relação com dor no cérebro.
MENTIRA. O cérebro não dói, mas, sim, é capaz de perceber e localizar desconfortos causados por lesões em praticamente qualquer região do corpo. Como no caso da dor de cabeça; não é o órgão que dói, mas sim os músculos, os vasos sanguíneos e as meninges. Por conta da inexistência de dor, em alguns procedimentos cirúrgicos o paciente pode até ficar acordado durante a cirurgia, ajudando o neurocirurgião no mapeamento das funções cerebrais a serem preservadas na operação.

5) Quem usa bem o lado esquerdo do cérebro é bom em matemática.
MENTIRA. O lado esquerdo do cérebro é mais ativado em cálculos e no raciocínio lógico sequencial, e o lado direito, por outro lado, é acionado na função viso-espacial e na percepção e interpretação de formas, habilidades empregadas na geometria. Por isso, para ser um ótimo matemático é fundamental estar com os dois hemisférios afiados.

6) Os bebês desligam as conexões neurais que não utilizam.
VERDADE: eles apresentam um sistema nervoso em franco desenvolvimento. O cérebro de um recém-nascido ou bebê é como uma esponja: toda informação que chega é absorvida e processada. Conforme o tipo de informação proporcionada e a frequência, ele cria mais ou menos sinapses.

7) A dor reside no cérebro e pode ser controlada.
VERDADE. A dor é uma criação cerebral que é ativada como mecanismo de autodesefa após a percepção de lesão. Ao notar algo de errado com o organismo, o cérebro interpretará a dor como um alerta de que alguma providência deverá ser adotada para evitar o agravamento do quadro.

8) Quanto maior o cérebro, maior a inteligência.
MENTIRA. O tamanho do cérebro não é indicador desta qualidade e, mesmo se compararmos o tamanho do cérebro humano com o de outras espécies, veremos que isso não é sinal de capacidade: elefantes têm o órgão bem desenvolvido e não são mais perspicazes que humanos.