Na Hipnose Ericksoniana a forma de tratar doenças e distúrbios é diferenciada, pois o método, desenvolvido por Milton Erickson, trabalha com a individualização do paciente, sendo um tratamento personalizado e que respeita às situações de cada um em seu transe hipnótico.

A técnica trabalha com base na principal filosofia de Erickson: de que o paciente possui todas as respostas para seus problemas e ele é o principal responsável pela sua própria cura, sendo o hipnoterapeuta apenas um orientador durante o tratamento.

Desenvolvida com um estilo próprio, Erickson verificou que a hipnose deveria ser adaptada à realidade psíquica de cada cliente e acredita-se que isso conferiu maior qualidade ao seu trabalho.

O hipnoterapeuta evitava entrar em confronto com as crenças dos pacientes e procurava segui-los em sua subjetividade.

Dessa forma, na Hipnose Ericksoniana não se procura incutir nenhuma sugestão que possa atrapalhar o transe, já que tudo ocorre naturalmente quando a singularidade do paciente é mantida.

Aos poucos, o psiquiatra desenvolveu um método em que a resistência do cliente era sensivelmente diminuída. Inclusive, segundo ele, seu método permite tratar uma pessoa com a hipnose com o mínimo possível de resistência, garantindo melhores efeitos terapêuticos.

O hipnólogo que segue o método Ericksoniano presta bastante atenção nas pistas não verbais, ou seja, na linguagem corporal do paciente, tal como forma de se sentar, movimento dos olhos, expressividade com mãos e braços, posturas diversas, expressão facial, dentre outros. 

Desse modo, pode-se, inclusive, adaptar nossa linguagem de forma sutil à linguagem da pessoa, para que esta sinta-se ainda mais à vontade.