Quando comecei a trabalhar em uma clínica há 50 anos, eles me chamavam de psicoterapeuta. Quando, após 15 anos, terminei minha formação como psicanalista, me chamaram de psicanalista. Eu também obtive um Ph.D. em psicologia e me tornei doutor Adler. Quando eu treinei em Gestalt therapy e Bioenergetics acrescentei ambos ao meu nome e usei o terapeuta gestalt e bioenergetista. Eu me tornei um terapeuta de grupo, arte e família. Então, é claro, houve Psicodrama, Sensibilidade Sensorial, Terapia de Encontro, Terapia de Maratona, Hipnose Ericksoniana, Aconselhamento Pastoral, EMDR / terapia de traumas, um Diploma em Estresse Pós-Traumático e Focalizando… preciso continuar! NÃO!

Ser um curador

Todos têm status e títulos profissionais diferentes, mas o status e os títulos não fornecem necessariamente qualquer garantia de que o que você contribui para a vida de outra pessoa realmente. Felizmente, o tempo e a experiência me ensinaram muito sobre o que realmente funciona quando você ajuda os outros em sua jornada pela vida.

Hoje, guardei todos os graus e os títulos. Eu chamo a mim mesmo de curador. Eu simplesmente sou uma pessoa que ajuda outras pessoas a sair do seu próprio caminho. Como eu pratico minha arte como curador? Meu segredo não é segredo. Eu faço o meu melhor para ser congruente, autêntico, vulnerável, presente, aceitando todas as partes de mim que são o eu em mim e todas as partes nos outros que as fazem elas!

Eu me junto com meus pacientes sendo perfeitamente imperfeitos e, juntos, co-criamos um campo relacional e transformacional. Nós criamos e mantemos um espaço positivo especial para o que pode ser.

Você sabe que eu tenho muito conhecimento e experiência e cada um de nós possui o mesmo. Todos nós temos conhecimento e experiência diferentes uns dos outros e ainda assim únicos. Nosso trabalho é co-criar com nossos pacientes um espaço sagrado ou um campo transformacional ao qual possamos nos conectar. Eu me convenci de que a sabedoria não reside em você e não reside em mim. Quando usamos nosso conhecimento, estamos presentes e nos conectamos ao campo, um universo de sabedoria emerge e se torna nosso.

As pessoas dirão que não há magia quando se trata de curar, crescer, evoluir, etc. Mas há magia, realmente existe, ou pelo menos quando criamos e nos mantemos abertos e entramos em um espaço sagrado, algo mágico sempre aparece. Sim, é aí que está a mágica real… a magia de infinitas possibilidades.

 

Eu tive uma aluna maravilhosa Anna Paula. Um dia eu estava proclamando para ela que eu amava o meu trabalho e amava o mistério do que eu fazia, porque sempre que eu começo meu trabalho com alguém eu nunca sabia onde eu iria acabar. “Sim”, ela respondeu, “quando você começa, você nunca sabe onde vai acabar, mas uma vez que você se conecta ao campo, isso sempre acaba em magia”.

Se você quiser saber um pouco mais sobre Erickson e a hipnose ericksoniana, sugiro baixar o nosso e-book gratuito “A Hipnose Ericksoniana – O Poder da Comunicação com o Inconsciente˜. É só clicar aqui.

 

Grande Abraço,

 

Dr. Stephen Paul Adler