Criança é um dos seres mais inteligentes que há na terra. Ela é como esponja ambulante que absorve todo tipo de informação que a rodeia. Para verificar a veracidade desta afirmação, basta perguntar para um casal quantas vezes escutaram seu filho relatar situações que, muitas vezes, eles imaginaram que a criança não prestava atenção.

Mas essa habilidade é um caminho de mão dupla e não é somente aprendizado que a criança absorve. Infelizmente, ela absorve com a mesma força detalhes de eventos traumáticos que acontecem ao seu redor.

Para esse momento, vamos utilizar um cenário muito conhecido por todos nós como exemplo: hospitais. Se para nós, adultos, hospital já possui uma conotação negativa, é um lugar cheio de pessoas doentes e a beira da morte, imagine como esse ambiente é para uma criança.

Agora, você pode me perguntar “Como posso ajudar uma criança doente a não traumatizar-se com toda a experiência da hospitalização?” e a resposta virá, sem pensar duas vezes: Hipnose Ericksoniana.

As abordagens ericksonianas estão além do campo da cura; elas são destinadas, também, ao gerenciamento da dor e do estresse. Os ensinamentos de Erickson não possuem limitações de idade e podem ser usados com adultos e crianças, de diferentes faixas etárias.

O hospital foi o nosso principal exemplo, mas ele não é o único lugar/experiência a estressar, causar agitação e, até mesmo, traumatizar uma criança. A seguir, você verá algumas dicas ericksonianas que podem ser utilizadas para acalmar crianças que estão sob estresse, agitação mental extrema ou medo de alguma experiência.

  • Capture a atenção das crianças com brinquedos

Ao utilizar objetos que são parte do mundo delas, você captura com facilidade o foco delas, porém, cuidado ao escolher os brinquedos. Muitas vezes, um brinquedo com características que representam ação poderá obter resultado inverso ao desejado.

  • Ensine a criança a respirar com o diafragma

Com um pequeno brinquedo posicionado sobre a barriga dela, ensine como tomar um grande fôlego e, depois, soltar o ar, empurrando o estômago. Como a respiração diafragmática está associada ao relaxamento, após algumas repetições, a criança começa a acalmar-se.

  • Use um fantoche para conversar com a criança

Entenda que no mundo da criança, você é uma figura de poder e, em alguns momentos, ela pode sentir-se intimidada ao conversar contigo. Por isso, ao utilizar um fantoche simples e inofensivo como um intermediário, você facilita a sua entrada no mundo da criança e, como consequência, a conversa.

  • Foco em uma ação

Segundo Dorothy Larkin, PhD em Pesquisa em enfermagem e Teoria do desenvolvimento com foco em Hipnose Ericksoniana e trainer do ACT Institute, você pode utilizar uma tigela tibetana para chamar a atenção de uma criança e fazê-la concentrar-se em outra ação. Basta pedir para ela levantar as mãos sempre que o som reproduzido através da vasilha terminar.

A Ph.D. Dorothy Larkin utilizou a tigela tibetana como exemplo, porém, você pode substituí-la por outro instrumento musical ou de meditação que produza som calmante e longo.

Apesar de simples, essas abordagens ajudam muito a criança a concentrar-se numa experiência mais confortável e útil, desviando, assim, sua atenção de algo estressante ou, talvez, doloroso.