Reprograme o seu cérebro
Ao longo das últimas semanas, pudemos passar por diversos conceitos diferentes para compreender melhor como é possível promover uma mudança real na sua vida, a partir de um novo condicionamento cerebral.

Hoje, procuramos compilar algumas das informações mais importantes (as quais você pode encontrar em publicações anteriores) relacionadas à sua capacidade de reprogramar o seu cérebro.

Hábitos
Primeiramente, é preciso lembrar-se de que nós somos nossos hábitos, sendo eles são fortes fatores que nos regem diariamente. Segundo a Wikipédia, um hábito é a “disposição duradoura adquirida pela repetição frequente de um ato, uso ou costume”. Já segundo o site O que é?, o hábito pode se “caracterizar na psicologia […] como qualquer comportamento que [se] repete regularmente ou que requer pouca ou nenhuma razão naquilo que é aprendido e inato”. Ou ainda, o Dicionário Online do Português define hábito como “maneira de se comportar; modo regular e usual de ser, de sentir ou de realizar algo”.

Assim sendo, hábito é um costume que requer pouca ou nenhuma razão para acontecer, isto é, que já é tão naturalizado que ocorre com pouco pensar, e que configura um modo regular e usual de ser, configura quem nós somos.

Como bons hábitos, essas características são fortemente arraigadas a nós mesmos, o que faz com que seja difícil para que nos livremos deles ou os mudemos quando julgamos necessário. No dia a dia, os hábitos nos colocam no piloto automático para que lidemos melhor com os diversos estímulos e preocupações que nos circundam. E sair desse piloto automático pode ser muito difícil, mas não é impossível. Para ajudar, uma forma interessante é ativar a sua neuroplasticidade.

Neuroplasticidade
Segundo Stephen Paul Adler, Autoridade sênior em Psicanálise, Ph.D. em Psicologia, Pós-doutor em Estresse pós-traumático e criador do ACT Institute, a neuroplasticidade é a habilidade do cérebro de se reorganizar a partir da formação de novas conexões ao longo da vida. A neuroplasticidade permite que neurônios (células nervosas) compensem a ação de danos e doenças no cérebro, ajustando suas atividades em resposta a novas situações ou mudanças em seu ambiente. Logo, a neuroplasticidade nos permite trocar ideias e hábitos ruins por boas ideias e hábitos positivos.

 

Embora a neuroplasticidade seja algo que todo cérebro pode exercitar, ela não lhe é tão natural, sendo preciso ativá-la. Para que isso seja feito, é preciso aprofundar-se em alguns conhecimentos.

Mindfulness e Método Sedona
Dentre os conceitos importantes que ajudam a desenvolver a neuroplasticidade, está o mindfulness. Esse termo, que também é conhecido como atenção plena, tem suas origens no budismo com o termo Sati, que se refere à “capacidade de se lembrar”, ou seja, à capacidade de se manter consciente e atento sobre o seu corpo e, principalmente, sua mente, procurando entrar em contato com diferentes pensamentos e emoções.

Dentro da psicologia, esse estágio de percepção e consciência foi chamado de mindfulness, sendo que no Brasil por vezes também é chamado de atenção plena. Atingir o mindfulness é conseguir dar atenção a certos aspectos importantes da nossa vida que, por muitas vezes, simplesmente deixamos de lado.

Enquanto isso, existe também o Método Sedona, que faz uso de cinco passos para poder ajudá-lo a optar por deixar essas emoções que o atrapalham irem embora. Ou seja, enquanto o mindfulness é um estado mental no qual você aprende a dar atenção para o que realmente importa, o Método Sedona é uma prática que procura mudar a sua visão sobre determinadas perturbações na sua vida.

Juntos, esses dois conceitos servem de base para você começar a ativar a sua neuroplasticidade. Mas para que esse processo seja bem feito, você deve seguir os 6 C’s.

Os 6 C’s
Criados por Stephen Paul Adler para um curso que tem como foco promover mudança em sua vida, os 6 C’s funcionam justamente como gatilhos para ativar de vez a sua neuroplasticidade. Calma, Conexão, Compaixão, Coragem, Clareza e Competência são os 6 C’s. Ao compreender como trabalhar com cada um deles, você permite que o seu cérebro atinja um estágio onde ele pode se reprogramar, promovendo mudanças reais em sua vida.

Para saber mais, acesse: bit.ly/ACT6Cs