Medo, desespero e vergonha: a crise econômica traz todos esses sentimentos à tona e aflige a população. Quem está empregado tem receio do dia de amanhã; quem já foi demitido não consegue enxergar novas perspectivas.

Esse cenário de instabilidade financeira abala qualquer um, mas o que muita gente não pensa é em como a terapia pode ser útil nessa situação.

Neste artigo, vamos mostrar a relação entre crise econômica e terapia, destacando como a conjuntura econômica pode desestabilizar qualquer um e como a ajuda psicológica é essencial para que as pessoas consigam se situar, respirar fundo e pensar em soluções. Acompanhe:

Medo do desemprego

Preços altos, salários que não sobem, contas que não param de chegar e dívidas a perder de vista. Na televisão e na internet, notícias de inflação alta e aumento das estatísticas de desemprego. Sem contar o fato de as empresas estarem enxugando custos.

O fato é que todos esses fatores trazem angústia para a população.

Mesmo quem está empregado vive a insegurança, e essa triste realidade leva a um só pensamento: medo do desemprego. A situação é pior para quem tem família e precisa custear prestação de casa e estudos dos filhos.

Tudo isso resulta em estresse, falta de motivação e infelicidade; o medo aprisiona e se torna um inimigo, prejudicando as relações familiares e até o rendimento no trabalho.

E é aí que mora o perigo: essa preocupação excessiva prejudica a dia a dia no trabalho e pode, de fato, ser um motivo para a demissão.

Por conta disso tudo, muita gente acaba desenvolvendo síndrome do pânico, transtorno de ansiedade ou outras angústias que geram sofrimento. Por isso, é preciso procurar ajuda médica e psicológica o mais rápido possível.

Depressão e ansiedade na crise

Para aqueles que perderam o emprego, a realidade é ainda mais difícil. O padrão de vida muda e a falta de esperança domina a mente do indivíduo.

Os sonhos de financiar um imóvel, fazer novos cursos, viajar ou trocar de carro são abandonados.

No meio desse caos, antes de pensar no futuro, é preciso resolver o presente, porque as contas não param de chegar. Dessa forma, em muitos casos, não há outra saída: é necessário contar com a ajuda financeira da família e amigos.

Vergonha

Quem chega nessa situação tem vergonha de aceitar a ajuda alheia, porque acha que foi o responsável pelo fracasso, quando, na verdade, foi vítima de uma conjuntura econômica desfavorável.

Tudo isso pode gerar transtorno de ansiedade e, em casos mais graves, até depressão. Em um momento em que é preciso arregaçar as mangas e correr atrás de uma nova oportunidade, a pessoa fica desmotivada e sem vontade e forças para sair da cama.

Esses problemas, além de prejudicarem a saúde física e mental, afetam as relações sociais e a convivência com o companheiro e filhos.

Tratamento

É preciso, sem dúvida, que a pessoa procure tratamento o mais rápido possível. Não há outra saída!

A dificuldade é em alguns casos fazê-la aceitar que precisa de terapia. Alguns acham que isso seria um atestado de fracasso. Assim, buscam em vão esconder seus problemas emocionais.

Por isso, é tão importante que familiares e amigos próximos se solidarizem e ajudem. Os suportes psiquiátrico e psicológico são essenciais para os indivíduos que enfrentam o desemprego no momento de crise econômica.

Terapia para recomeçar

Quem está desempregado ou vive com o “fantasma” de ser demitido a qualquer momento não consegue ter tranquilidade no dia a dia ou enxergar uma perspectiva de mudança futura.

É uma situação claramente compreensível, mas que não pode continuar por muito tempo. Isso porque quem se encontra nessa situação são pessoas que vivem irritadas, tristes, com baixa autoestima e sem esperança. Além disso, podem ter insônia e dor de cabeça, sintomas que acabam com a saúde de qualquer um.

Nessa hora, a chave para uma vida nova está na terapia.

Autoconhecimento

A pessoa precisa se reorganizar, e o terapeuta é o mais indicado para conduzi-la para o autoconhecimento.

Isso porque o recomeço precisa partir do paciente. A solução está dentro dele; ele só precisa se conhecer e, assim, entender seus sentimentos e angústias para achar um caminho.

O psicólogo será como um guia para o inconsciente, mas as respostas, no fundo, partem do próprio indivíduo. Além disso, o paciente que faz terapia passa a ter uma nova visão da realidade, conseguindo lidar melhor com os conflitos internos ou barreiras que o impedem de buscar novas oportunidades.

Potencialidades

Quando a pessoa passa a enxergar outras potencialidades e talentos, o momento de crise econômica pode ser, na verdade, somente uma mudança de rumo ou uma chance de transformação.

Será que não é a hora de empreender em uma área totalmente nova? Ou se candidatar para um cargo diferente do que exerceu até hoje? As respostas a essas perguntas podem ser obtidas nas sessões de psicoterapia.

Relacionamentos

Ao se autoconhecer, a pessoa consegue também se relacionar melhor com a família e amigos, ou seja, vive em harmonia e consegue apoio para planejar melhor suas ações para o futuro.

Hipnose ericksoniana

Uma forma de terapia breve e eficaz é a hipnose ericksoniana, criada pelo psiquiatra Milton H. Erickson.

Não se trata daquelas hipnoses de shows de televisão! É um trabalho sério, com comprovação científica, em que o paciente fica consciente e é conduzido a acessar seu inconsciente, buscando respostas para problemas emocionais profundos.

A hipnose ericksoniana auxilia no processo de autoconhecimento, por isso é tão indicada para pacientes que precisam se recompor e seguir em frente em momentos de incerteza, como a crise econômica.

Metodologia

A hipnose ericksoniana se constitui em um conjunto de técnicas para se comunicar com a mente inconsciente, sendo responsável por 95% de todas as mudanças comportamentais. Dessa forma, quem está abalado com a crise econômica e precisa de suporte psicológico para conseguir seguir em frente pode buscar essa forma de hipnose clínica.

hipnoterapeuta utiliza uma metodologia em que considera a personalidade, crenças, valores, linguagem e reações do paciente para guiar a sessão. Dessa forma, faz com que ele volte sua atenção e concentração para si mesmo e consiga achar as respostas para seus medos e angústias, que trazem tanto sofrimento e o impedem de recomeçar.

Autoridade no Brasil

No Brasil, o ACT Institute é a principal referência sobre Hipnose Ericksoniana. A instituição de ensino é uma iniciativa de Stephen Paul Adler, autoridade sênior em Psicanálise, PhD em Psicologia, pós-doutor em estresse pós-traumático e autor das obras Hipnose Ericksoniana – estratégias para comunicação efetiva (2010) e Uma abordagem ericksoniana para um inconsciente informado (2014).

A crise econômica gera muitos transtornos e mudança na vida das pessoas. O desemprego ou o medo da demissão comprometem a saúde física e mental do indivíduo; porém, é possível encontrar uma saída e viver melhor com a ajuda da terapia, especialmente a hipnose ericksoniana.

As nossas informações foram úteis para você? Aproveite e compartilhe este post com seus amigos nas suas redes sociais!