Está em busca de ferramentas para complementar a sua competência? Deseja aumentar a sua efetividade, conseguir mais pacientes e, consequentemente, se destacar na sua profissão? Sabe qual é a relação entre PNL e hipnose para o combate de problemas como a ansiedade e a depressão? 

Seja qual for a sua resposta, este artigo foi preparado justamente com esse intuito: mostrar a ligação de tais técnicas para a resolução dessas condições. Vamos lhe apresentar os principais pontos para que você compreenda como elas podem contribuir para o seu trabalho.

O assunto é bastante relevante, por isso, não perca a leitura em hipótese alguma. Confira! 

PNL e hipnose, quais são as diferenças?

Para começar, é preciso esclarecer quais são as diferenças entre a PNL e a hipnose:

PNL

Com raízes na hipnose Ericksoniana, a PNL (Programação Neurolinguística) pode ser resumida da seguinte forma: um processo educacional que tem como objetivo otimizar o uso do cérebro por meio de procedimentos linguísticos que visam se comunicar com a mente consciente. 

Em outras palavras, a PNL utiliza ferramentas de linguagem (não necessariamente verbais) para alterar o condicionamento mental dos pacientes, “configurando-o” de acordo com os seus próprios objetivos. 

Desse modo, direciona-se o indivíduo para a conquista dos resultados que ele deseja alcançar, seja no campo pessoal ou profissional, não importa o sentido.   

Hipnose

Enquanto a PNL consiste na codificação comportamental do consciente, a hipnose atua sobre o inconsciente: essa é a diferença básica entre uma e a outra. Contudo, o propósito por trás delas é praticamente o mesmo. 

E você deve estar se perguntando qual é esse propósito, não é mesmo? A resposta é: influenciar o cérebro de maneira positiva. Simples assim. Nesse sentido, vale ressaltar que no caso da hipnose, especialmente a Ericksoniana, é considerado como ideia o argumento de que o único responsável pela sua cura é o próprio indivíduo. 

Observação: a hipnose Ericksoniana leva este nome porque o seu conceito e a sua metodologia de trabalho foram desenvolvidos pelo Dr. Milton Erickson (1901 – 1980), psiquiatra norte-americano especialista em terapia familiar sistêmica, e uma das maiores autoridades que o mundo já viu no que se refere à psicoterapia.

http://maringa.odiario.com/empregos/2015/03/hipnose-e-pnl-ajudam-a-controlar-a-ansiedade/12Como a PNL e a hipnose podem contribuir para a luta contra a ansiedade e a depressão?

Agora que você já sabe que a PNL age sobre a mente consciente e que a hipnose sobre a parte inconsciente do cérebro, veremos agora de que forma elas podem ajudar no combate à ansiedade e à depressão

O ponto a destacar, nesse caso, é que se trabalhadas corretamente e de modo conjunto, os resultados obtidos quanto à resolução dos problemas tendem a ser extremamente satisfatórios.

Pode-se dizer que a abordagem inicial da PNL e da hipnose é a mesma, baseando-se, sobretudo, na identificação das causas e dos gatilhos que desencadeiam tais perturbações. 

No entanto, para facilitar o seu entendimento, abordaremos os seus processos individualmente:

PNL

A programação neurolinguística ajudará o paciente a regular os seus níveis de percepção acerca dos acontecimentos que motivam essas “falhas” emocionais, oferecendo, assim, exercícios que mudarão a sua visão sobre o ambiente que o rodeia.

Nesse contexto, a PNL promoverá uma intensa mudança no que corresponde às ações e os pensamentos, orientando o indivíduo a alcançar os estados desejados em relação aos seu sentimentos. Ou seja, ela ajuda o indivíduo a escolher e determinar o seu estado emocional.    

Como você já sabe, por trás de cada comportamento há uma estrutura interna de emoções e de pensamentos que interferem diretamente nas nossas ações, impactando os resultados da nossa vida como um todo. 

E é exatamente aqui que a PNL atuará, compreendendo esse funcionamento interno para que se possa ressignificá-lo.   

Hipnose

Já a hipnose, por sua vez, procura se aprofundar um pouco mais, “invadindo” o inconsciente para encontrar os traumas do passado e os condicionamentos negativos que geram os males, por exemplo. 

No que diz respeito ao procedimento, em resumo, ele ocorrerá da seguinte maneira: o paciente será conduzido ao transe hipnótico por um processo conhecido como hipermnésia, que dará acesso à sua memória.  

Em circunstâncias normais, as ondas cerebrais giram entre 12 e 30 ciclos por segundo. Porém, quando o paciente começar a relaxar, elas serão reduzidas para entre 7 e 12. Ao chegarem a 4, o seu senso crítico desaparece. 

A partir de então, ele parecerá que está dormindo, contudo, escutando e prestando atenção em tudo o que está acontecendo, como se fosse uma meditação guiada. É nesse momento que o profissional entrará de fato em ação, desbloqueando as lembranças que estavam inacessíveis e criando novas condições para que a pessoa tenha reações mais favoráveis.   

Diante de todas essas informações, a relação entre a PNL e a hipnose no combate à ansiedade e à depressão fica bastante evidente, não concorda? E sabe o que é o mais interessante e que vale salientar? Que uma colabora com a outra, e vice-versa. 

E o que isso quer dizer nesse caso? Que com a ajuda da PNL, o consciente pode influenciar o inconsciente e, com o auxílio da hipnose, o inconsciente pode influir o consciente, potencializando os seus efeitos.   

Quem pode aplicá-las? 

Antes de concluir, não poderíamos deixar de mencionar as questões atribuídas à aplicação dessas técnicas. Regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e reconhecida pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP), a hipnose pode ser utilizada por todo e qualquer profissional que tenha feito os cursos preparatórios, respeitando, é claro, as suas respectivas áreas de atuação. 

Além disso, a hipnoterapia também é aceita pelos conselhos federais de Fisioterapia, Terapia Ocupacional e Odontologia, os quais a reconhecem como instrumento clínico. 

Já a PNL não é reconhecida por conselho algum. Entretanto, isso não significa que ela deve ser desmerecida, pelo contrário, pois a sua prática vem sendo amplamente utilizada por profissionais de diversos campos do conhecimento, como: coachings, professores/educadores, médicos, palestrantes, psicólogos e empreendedores.   

Para concluir, lembre-se de que a mente e o corpo precisam trabalhar juntos para que ocorra um bom equilíbrio entre o físico e o emocional. Nessa verdade, a PNL e a hipnose serão de grande ajuda, disso não há a menor dúvida.

Tudo o que falamos até aqui é apenas uma breve introdução sobre essas técnicas. Se você quiser saber mais e deseja realmente se capacitar em relação a elas, entre em contato conosco!