A psicologia pode ser definida como o estudo do comportamento cognitivo e de como as pessoas interagem na sociedade, podendo agir tanto na prevenção quanto na reabilitação de pessoas com distúrbios de ordem emocional e de personalidade.

Nesse sentido, muitos psicólogos escolhem a Psicologia Clínica, podendo atuar em consultórios próprios, hospitais, escolas e empresas. Para quem decide montar o próprio consultório de psicologia, é essencial estar atento a alguns cuidados e medidas para garantir a concretização desse empreendimento.

Esse é o seu caso? Quer saber como montar consultório de psicologia? Então continue a leitura deste post e saiba mais sobre o assunto!

Conheça os passos para montar consultório de psicologia

Um dos principais detalhes para iniciar esse empreendimento é escolher o local. Assim como qualquer outra empresa, é preciso pensar no acesso — se haverá estacionamento e se a localização é central, para que os pacientes possam chegar à clínica com facilidade.

Depois, é preciso que, dentro da clínica, haja acessibilidade para todos os que procurarem pelo atendimento. Por isso, é importante que haja alguns facilitadores, como uma rampa de acesso para cadeirantes, um banheiro adaptado e elevadores.

A seguir, vejamos mais 6 passos que ajudarão você a montar com sucesso o seu primeiro consultório de psicologia:

1. Tenha formação na área

Antes de tudo, para abrir uma clínica de psicologia é preciso ser formado na área. Isso porque será necessário saber o porte da clínica, que equipamentos serão adquiridos, qual será a localização, como se posicionar para atingir o público alvo, e estar atento à estratégia de crescimento.

2. Tenha uma boa localização e cuidados com o imóvel

Como já comentamos, o local é extremamente importante para qualquer empreendimento. Para montar consultório de psicologia, o mais importante é que ele seja de fácil acesso, tendo um estacionamento e estando localizado na área central da cidade.

Depois de adquirir o imóvel para a clínica, é fundamental fazer sempre a manutenção, verificar as condições físicas do ambiente — como ventilação, iluminação, mofo, vazamentos, etc. — e resolver qualquer problema que possa apresentar.

No que se refere à mobília, é importante lembrar algumas normas e padrões exigidos pelos órgãos de regulamentação. Grosso modo, os consultórios deverão ter as seguintes características:

  • água potável com copo descartável;

  • banheiros adaptados para deficientes físicos: contendo pia com sabonete líquido e papel toalha, lixeira com tampa e pedal, e envolvida internamente com saco plástico, vaso sanitário com tampa e papel higiênico sempre disponível, e um ralo de esgoto devidamente fechado com tampa;

  • sala do consultório que tenha, no mínimo, 7,5m²;

  • paredes em cor clara, de textura lisa e impermeável, sem conter mofo, rachaduras ou infiltrações;

  • piso lavável e também impermeável;

  • teto liso, de cor clara, feito de material resistente;

  • bancos, bancadas e balcões revestidos, interna e externamente, de material impermeável, e fáceis de higienizar;

  • revestimento impermeável de móveis como sofás, cadeiras, poltronas, divãs e almofadas;

  • iluminação mais natural possível, e de acordo com o tamanho da sala;

  • ventilação adequada: ar natural ou ar-condicionado, dependendo do ambiente.

Dessa forma, você oferecerá mais conforto a quem procurar por seus serviços, e não correrá nenhum risco legal no futuro.

3. Veja o que é melhor: alugar, comprar ou sublocar

Quanto a isso, é necessário dividirmos cada aspecto e falar sobre eles separadamente, pois todos eles possuem vantagens e desvantagens. Vejamos:

Comprar

Ao comprar um imóvel, o comprador poderá ter um abatimento, mas não ficará isento do pagamento dos valores mensais, que serão fixos.

Há também outras despesas fixas permanentes, como a como taxa de condomínio, IPTU, contas de luz, telefone e Internet — assim como será preciso contribuir para a manutenção dos prédios, a compra de produtos descartáveis, a higienização do espaço e a mão de obra.

Alugar

Já para quem considera alugar um imóvel para montar consultório de psicologia, de fato, o valor será bem mais baixo. No entanto, para fazer o contrato será exigida a presença de fiadores ou será necessário pagar um cheque caução.

No geral, o nível de burocracia das imobiliárias é bem maior do que o dos contratos feitos diretamente entre o locatário e o proprietário. De toda forma, o mais importante é sempre fazer uma pesquisa e evitar agir por impulso.

Sublocar

Sabemos que, geralmente, quando se está iniciando como profissional de Psicologia não se tem muitos recursos para investir. Nesse caso, a sublocação pode ser uma escolha. Alugar uma sala por hora pode ser interessante, pois assim você só pagará pelo que usar.

4. Ter estratégias para competir com outros do mercado

Para competir no mercado de Psicologia, o empresário deverá adotar estratégias de para se diferenciar de outros do mesmo segmento, sempre focando em nicho de mercado que ainda não foram explorados, verificar os preço, ou uma combinação entre estes itens.

Vale destacar a que a diferenciação é a estratégia mais eficiente para uma clínica de psicologia. Esta é estabelecida pelo currículo do profissional e seus títulos conseguidos em Pós-Graduação, Especializações, Mestrados, Doutorados, participação em congressos, entre outros.

5. Divulgue o seu consultório de psicologia

Não há momento e horários fixos para divulgar: todo e qualquer tempo é hora para fazer sua divulgação. Você pode fazer isso em locais com grande concentração de pessoas, nos escritórios dos planos de saúde ou até por meios on-line.

Do contrário, se optar em permanecer anônimo, nunca terá visibilidade para sua clínica. É como dizem: “A propaganda é a alma do negócio”.

Caso você ainda não tiver condições para ter o seu próprio consultório de psicologia, procure trabalhar em clínicas para adquirir experiência e dinheiro para montá-lo futuramente. Isso te ajudará a ter condições de gerir o seu próprio empreendimento.

6. Credencie-se em planos de saúde

Por fim, há vantagens e desvantagens de trabalhar com planos de saúde. Alguns pagam razoavelmente bem; outros pagam pouco e ainda podem atrasar o pagamento. Por isso, procure conhecer a fundo as empresas e esteja atento ao contrato antes de assiná-lo.

Aliás, uma boa ideia é tentar conhecer mais cada empresa de planos de saúde sondando outros psicólogos sobre a sua situação. Com a experiência, você aprenderá a selecionar os bons e a descartar os que trazem problemas.

Como vimos, é importante seguir essas dicas para conseguir montar consultório de psicologia de sucesso.

Caberá a quem deseja ter uma clínica própria analisar de forma cautelosa os fatores envolvidos antes de tomar essa importante decisão. Mas, sem dúvida, para quem deseja trabalhar na área, esse é um investimento imprescindível!

E aí, gostou do post? Quer se aprofundar ainda mais sobre o assunto? Então aproveite para ler também um pouco mais sobre a relação de psicólogos e doenças crônicas!