Embora a gestação seja, por definição, um período de felicidade, podem ocorrer alguns traumas na gravidez. E eles têm diferentes origens: podem ser frutos de situações anteriores à própria gestação, podem se desenvolver ao longo dos meses ou mesmo após o nascimento do bebê.

Independentemente disso, são quadros que exigem atenção, até mesmo por uma questão de saúde e de bem-estar da mãe e da criança. Mas você sabia que, nesse cenário, a hipnose pode ser de grande ajuda?

Pois é! A técnica traz vários benefícios e, acima de tudo, guarda uma relação importante com o momento gestacional. Então, interessada? Para saber tudo sobre o assunto, continue lendo este post!

Quais são os possíveis traumas na gravidez?

De fato, não é incomum que a gestante encare certas dificuldades durante a gestão — que poderão, inclusive, ser sentidas pelo bebê, em determinados níveis. Os quadros variam de acordo com cada situação, mas algumas possibilidades incluem:

Perdas importantes

A partida de um familiar ou de um amigo próximo gera um estresse elevado, tanto para a mãe quanto para o bebê. Afinal, durante a gravidez, a mulher está sensível devido à flutuação hormonal. Nessa condição, perder alguém pode ser ainda mais impactante do que em outras fases da vida.

O que também pode acontecer é a perda do cônjuge, como por separação. Somando isso à pressão de trazer uma nova pessoa ao mundo, é comum que haja um medo do abandono ou da solidão.

Complicações na gestação

Como dissemos, algumas condições de saúde podem fazer com que a grávida encare complicações, seja para a saúde do bebê ou de ambos. Certos quadros mais complexos podem até colocar em risco a continuidade da gravidez, ou a própria sobrevivência dos dois.

Caso a mulher já tenha passado por alguma situação traumática ligada à saúde, esse será um gatilho especialmente intenso. Como consequência, há o trauma relativo à perda do filho que está para nascer, ou o medo de morrer. Isso gera ansiedade, fobias e, em alguns casos, até mesmo a depressão.

Violência obstétrica

Não é apenas no período antes do parto que os traumas na gravidez podem acontecer. Na hora de dar à luz, também é bastante comum que as grávidas sofram com o que é conhecido como violência obstétrica.

No Brasil, infelizmente, 1 em cada 4 mulheres já sofreu com esse quadro em algum nível. E isso causa danos severos, inclusive em relação às próximas gestações. Dependendo do caso, é algo que pode gerar problemas de autoestima e de relacionamentos, além de potencializar o quadro de depressão pós-parto.

Qual é a relação entre hipnose e gestação?

Apesar do que muitos acreditam, a hipnose trabalha com um estado de atenção extrema. Ela permite que o paciente ganhe foco máximo, em vez de simplesmente ficar em transe ou adormecido. E, para a gestação, isso é muito importante. Servirá, inclusive, para tornar a gestante mais participativa nesse quadro.

Nesse sentido, a relação entre a gravidez e a hipnose se dá pelo fato de que essa técnica eficaz pode ser considerada uma ação profilática, que visa prevenir eventuais consequências negativas após o parto.

Mais do que isso, a hipnose é capaz de lidar com traumas ainda durante a gestação, diminuindo e, potencialmente, eliminando seus efeitos. Assim, a relação entre os dois se relaciona diretamente com a saúde, a qualidade de vida e a eliminação de problemas de fundo psicológico.

Quais são os principais benefícios dessa relação?

Empregar a hipnose em pacientes gestantes que querem tratar traumas na gravidez é muito vantajoso. Os efeitos podem ser sentidos antes mesmo do parto, com grandes melhorias em todas as sensações envolvidas nesse processo.

Os principais benefícios são:

Facilitação do parto

Os estudos são sistemáticos ao demonstrar que a hipnose ajuda a tornar os partos mais fáceis. Há pesquisas que revelam uma redução na necessidade do uso de anestésicos, e que o parto normal acontece com maior facilidade nesses casos.

Além disso, essas etapas se tornam mais curtas e calmas, bem como mais seguras para a mãe e para o bebê, pois o sofrimento fetal é evitado. Como consequência, também são reduzidas as possibilidades de violência obstétrica, gerando maior tranquilidade para a gestante nessa experiência.

Com as técnicas certas, inclusive, a paciente pode ser ensinada sobre como realizar a auto-hipnose, de modo a obter todas as vantagens para essa etapa final da gravidez.

Melhor relacionamento com a gestação

É comum que alguns pacientes achem que a hipnose altera o estado de consciência de um jeito negativo, quebrando a conexão com o momento. Porém, o que acontece é exatamente o contrário.

Graças ao uso da hipnose, a gestante poderá resolver todos os seus traumas e ficar em um estado elevado de atenção. E, com menos dores e mais relaxada, aproveitará tanto a gravidez como o parto.

Isso gera melhor conexão com o período da gestação e com o bebê, criando vínculos afetivos de maior intensidade.

Melhor preparação para a vida após o parto

Sabemos que a chegada de um novo integrante muda a dinâmica de qualquer família. E isso causa medos e apreensões, especialmente na mãe. Se ela tiver sofrido algum trauma prévio, manejar essa situação pode ser desafiador.

Agora, com a hipnose feita para cuidar dos traumas na gravidez, há uma melhor preparação para a nova fase da vida que será iniciada em alguns meses. Assim, a gestante consegue superar suas dificuldades prévias, criando o ambiente ideal para o nascimento da criança.

Maior bem-estar para a mãe e para o bebê

No Brasil, cerca de 25% das mulheres apresentam depressão pós-parto. Quando se fala em “baby blues” — quadro em que há uma tristeza profunda e temporária após o nascimento — o índice pode chegar a 70% das novas mães.

Tudo isso afeta o vínculo emocional com a criança e a própria experiência da maternidade. Mas, com a hipnose, os traumas serão mais bem administrados, criando um espaço realmente seguro para diminuir a propensão a esses quadros.

Tudo isso, sem dúvida, contribui para que a mãe e o bebê tenham uma relação melhor e mais saudável, de modo a aumentar o bem-estar de ambos.

Em outras palavras, com a hipnose, os traumas na gravidez podem ser solucionados, e todo o momento é favorecido. Como resultado, o processo da maternidade se torna mais simples e adequado para a nova família.

Enfim, gostou do nosso post? Agora, aproveite para ler um pouco mais sobre a psicologia pré e perinatal, que tem tudo a ver com esse assunto!