Medicação pode ser a saída mais conhecida, mas, nem sempre, será a melhor

É de conhecimento popular que a dor corporal, em qualquer nível, representa uma questão prejudicial tanto para a saúde como para a interação social de quem a sente. Sem dúvida, a medicação ainda é o meio mais conhecido para controlar a dor, porém, seus efeitos colaterais negativos podem ser desanimadores.

E, antes de continuarmos, gostaríamos de apresentar alguns dados importantes que você precisa saber:

  • 85% da população mundial já sentiu ou sentirá dores na coluna lombar em algum momento da vida;

  • estima-se que 30% da população paulista sofra com dores crônicas;

  • dores corporais são as principais causas de incapacitação da população com até 45 anos;

  • dor lombar é a terceira causa mais comum de cirurgias e a quinta em ranking de internações.

As dores corporais são uma questão real que necessita de atenção e a Hipnose Ericksoniana oferece mais uma possibilidade no tratamento e gerenciamento destes casos.

A comunicação hipnótica permite que o praticante saia do foco da dor e concentre-se nos estímulos de relaxamento e sensações prazerosas, fazendo com que se esqueça o máximo possível da sensação de desconforto.

Esta é uma opção de tratamento revolucionária que, cada vez mais, prova sua eficácia e conquista patamar privilegiado nos principais centros hospitalares do mundo. Aqui no Brasil, equipes de grandes hospitais, tais como Hospital das Clínicas, Hospital do Câncer e Hospital do Servidor, reconhecem e incorporaram a prática em tratamentos de dores crônicas e para diminuir os desconfortos causados pela quimioterapia em pacientes com câncer.