Pessoas lidando com dificuldades emocionais buscam se conectar com experiências internas, que favoreçam o acesso a sensações de segurança, conforto e harmonização, visando promover a reestruturação de um sofrimento psíquico, no qual o indivíduo esteja vivenciando. 

Cientificamente falando, sabemos que é possível somatizar (transformar conflitos psíquicos em doenças em nossos órgãos), a grande questão que nos fica é: se podemos materializar doenças através dos nossos pensamentos, é possível também se curar? A resposta é sim!

Os pensamentos positivos podem ser excelentes recursos para que a pessoa encontre sua segurança interna, não se afunde em expressões emocionais que causam mais sofrimento, desempoderamento e são grandes facilitadores para cura de doenças.

Toda informação emocional vem acompanhada de um convite para ampliar o autoconhecimento do ser. Esse convite pode ser para entender as suas necessidades, questões a serem trabalhadas ou elementos que precisam de suporte para amadurecimento. 

Os pensamentos positivos são recursos, por isso, devem ser usados com qualidade para que gere o suporte necessário em que pessoa possa investigar-se de uma maneira mais profunda, reconhecendo suas necessidades e realizando um bom trabalho interno, assim a consequência é o maior fortalecimento emocional e maior integração do ser com ele mesmo. 

Muitas vezes o uso exclusivo do pensamento positivo sem orientação,  pode fazer com que esses elementos percam a conexão com o foco consciente e a pessoa esqueça de explorar com maior cuidado o que suas experiências emocionais estão trazendo de convite para o próprio crescimento. Diante disso, busque auxílio de um profissional. 

A Hipnose Ericksoniana oferece uma série de estratégias e compreensões do ser sobre ele mesmo, que ajudam os terapeutas a usarem os pensamentos positivos, não para negligenciar as aprendizagens internas de seus pacientes, mas para dar o suporte emocional correto, visando promover que essas aprendizagens ocorram no maior contexto de regulação emocional e empoderamento do cliente.

Saiba mais sobre essa prática? Clique aqui e confira a importância de se autoconhecer.