Padrão comportamental é algo intrínseco ao nosso ser, sendo nós os únicos responsáveis por torná-los negativos ou positivos. Entre os padrão que se tornam improdutivos estão os mecanismos de autossabotagem. 

A composição da autossabotagem contém em sua base existem aprendizagens incompletas que como consequência das emoções internalizadas e das crenças construídas geraram formas de defesas que na ânsia de se proteger de dor e sofrimento acaba impedindo as possibilidades da pessoa criar e fazer. 

Acrescente ao caldeirão borbulhante que somos, o medo do que está fora de nossa zona de conforto e que nos impede de realizar nossos objetivos, e pronto. Plantamos a semente da autossabotagem em nossa vida. 

Uma das emoções que nós fomos aprendendo para nos defender, de acordo com a nossa experiência, é o medo. O medo é um mecanismo de defesa que desenvolvemos para o nosso próprio bem. O problema começa quando não há equilíbrio.

É normal sentir medo do desconhecido, do que faremos a primeira vez, principalmente se isso nos tira da zona de conforto. A questão começa a ficar preocupante quando o medo paralisa o executor e a ação planejada não acontece.

Este é o papel principal da autossabotagem: criar quilômetros de distância e obstáculos intransponíveis entre uma pessoa e seu desejo. E, infelizmente, não há fórmulas mágicas que façam a autossabotagem desaparecer.

Podemos por meio de muito esforço, reeducação e, até mesmo, auxílio profissional, conseguir nos livrar dessas amarras e trilharmos o caminho que é nossa missão.

Por isso, sempre repetimos que o autoconhecimento é a chave para o sucesso. Na medida em que tomamos consciência das crenças e das emoções que estão na base dos processos de autossabotagem, realizamos o processo de corrigir a experiência emocional que está presente dentro do ser, adicionando as informações que eram importantes estarem presentes para gerar segurança emocional, os processos de autossabotagem vão se dissolvendo naturalmente e o indivíduo vai aprendendo estratégias mais produtivas de lidar com as próprias emoções. 

A autossabotagem limita as possibilidades do ser, dificultando para que a pessoa possa entrar em contato com todo o seu potencial de realização. 

Na medida que o autoconhecimento for sendo aprofundado a autossabotagem diminui o potencial de limitação. Por isso, procure um profissional ericksoniano e torne-se consciente das suas limitações e medos.