É normal e, até mesmo, saudável começarmos a fazer um balanço do ano que está terminando quando atingimos essa época. Agora é quando notamos intensamente tudo o que realizamos e, também, o que não conseguimos alcançar.

Como num passe de mágica, nos lembramos de todos os objetivos que foram traçados no começo do ano e que perderam-se pelo caminho. E são esses lembretes tardios que podem nos causar um misto de ansiedade e frustração, por vezes, difícil de controlar.

Passamos a desejar que novembro e dezembro sejam os meses da realização; que tudo o que planejamos para conquistar durante o ano inteiro, seja feito nesses 61 dias restantes. E, assim, nos encontramos, de novo, com o famoso e conhecido passe de mágica.

No começo de 2012, o site americano 43things.com divulgou o resultado de uma pesquisa sobre as Resoluções de Ano Novo. Esse projeto informal consistia em perguntar ao participante quais eram suas metas a serem realizadas no próximo ano. Cerca de 10 mil visitantes deixaram suas respostas e, ao apurar o resultado, verificou-se o seguinte TOP 10:

PRINCIPAIS RESOLUÇÕES DE ANO NOVO

  • Perder peso
  • Comer, beber, aprender ou tentar algo novo
  • Guardar dinheiro
  • Ser feliz
  • Definir uma meta atlética acessível
  • Apaixonar-se
  • Tirar fotos em todos os dias do ano
  • Arranjar um emprego
  • Ler mais
  • Parar de fumar

Mesmo que tenha sido um projeto informal, o resultado nos faz pensar sobre nossas próprias listas pessoais. Muitos de nós estipulam para o próximo ano todas, ou quase todas, essas metas, sem mencionar a ninguém que elas são reincidentes; são daquele tipo de meta que começamos, mas que deixamos de lado, sem termos consciência disso.

ENTÃO, NECESSITO DE NOVAS METAS?

A maioria de suas metas, tanto as de Ano Novo como as planejadas no decorrer dos meses, são válidas e bem-intencionadas. Elas foram feitas por você, para você, e não há ninguém no mundo que deseje o seu sucesso e bem-estar mais do que… VOCÊ.

O sucesso ou o fracasso de sua lista não está nas metas traçadas, mas, sim, no que as motivou e como você as planejou. Vivemos em sociedade e, assim como nossas características, nossos desejos são influenciados pelo que nos cerca.

Vamos utilizar a PERDA DE PESO como um exemplo. Se você tem esse objetivo em sua lista, responda para si, com sinceridade, a seguinte pergunta: quando escolhi perder peso foi porque desejava um corpo dentro dos padrões sociais ou porque enxerguei nisso uma saída para melhorar minha autoestima, minha confiança e minha saúde física?

Se não listou a perda de peso, troque essa resolução por qualquer outra que você desejou no começo do ano e faça o mesmo exercício. Você pode se surpreender com a resposta.

Quando estipulamos uma meta, usamos o raciocínio lógico e, quando planejamos como alcançar esse objetivo, o nosso intelecto traça estratégias lineares, inflexíveis e conectadas para tal ação. E é aí que o fracasso pode espreitar.

Se você não consegue conectar-se completamente com suas metas e, muito menos, com suas estratégias para alcançá-las, você verá que cada atividade que se propor a fazer será vista como um sacrifício e não algo divertido e prazeroso, como deveria ser.

ALIE-SE AO SEU EU INTERIOR PARA CONQUISTAR SUAS METAS

Você se perguntou qual a motivação que te levou a estipular suas metas e obteve resposta. E, agora, o que você fará? Lembra-se da conexão que falamos anteriormente? Este é o momento em que ela entra em cena.

Antes de continuarmos, é necessário que você saiba que sua mente inconsciente é responsável por 95% de suas mudanças comportamentais e seu lado lógico, o intelecto racional, é quem comanda os outros 5%. Dito isso, será muito mais fácil entender o porquê é indispensável deixar que seu inconsciente aja em suas resoluções.

A mente inconsciente armazenada informações relevantes sobre o seu eu verdadeiro. Só ela sabe quem você realmente é e o que deseja. Por isso, quando você estipula metas que não se conectam com seu inconsciente, passa a usufruir de apenas uma pequena parte de todo o seu potencial e dedicação.

Ainda com nosso exemplo de perda de peso, se somente o seu intelecto racional está engajado nesta questão, seu comportamento e sua mente não mudarão, e você entenderá que seu sucesso estará atrelado à dietas e exercícios. Eles funcionarão por um tempo e você obterá resultado, mas, com o passar dos dias, sua mente se cansará dessa conduta imposta e, logo, a dieta e exercícios perdem o efeito e o seu interesse.

Agora, se seu inconsciente e consciente estão conectados na mesma causa, suas chances de sucesso são muito maiores. Sua mente inconsciente encontrará meios de te estimular cada vez mais, até o ponto que você perceba que atingiu o sucesso desejado a partir do momento que somou todas suas ações.

Ela não te forçará a um programa restrito; ela, apenas, te mostrará outras possibilidades de impulsionar seus resultados. Sua ansiedade também diminuirá porque você terá a certeza de sucesso, já que todo o seu eu está empenhado no êxito do projeto.

Como explicado antes, utilizamos a perda de peso como um exemplo. A força de sua mente inconsciente é muito maior e ela pode ser utilizada para criar infinitas possibilidades, em infinitos cenários.

Agora, depois de todas essas informações, só nos resta fazer uma pergunta: você quer mudar suas metas ou seu modo de colocá-las em prática?