Iniciando hoje a apresentação deste trabalho, gostaria de escrever sobre a Hipnose Moderna ou Ericksoniana. A mais clara definição que aprendi até o momento sobre a Hipnose Ericksoniana foi de “A hipnose é o processo de libertar as pessoas de limites aprendidos” e é exatamente isso que ela faz.

Muitos não sabem o que é hipnose e a associam àqueles shows ou apresentações onde a pessoa come cebola achando que é maçã. Essas práticas são um tipo de hipnose voltada ao entretenimento e que não promovem mudanças positivas no indivíduo. Esta hipnose só funciona com 10% da população e não tem função e nem efeito clínico.

Olhar para hipnose através destes óculos, deste limite aprendido, é um desperdício imenso mediante a uma das ferramentas mais transformadoras do ser humano. A Hipnose Moderna ou Ericksoniana é uma forma de comunicação eficaz, que gera sintonia entre as pessoas e através desta sintonia é possível fazer sugestões abertas e transformadoras que proporcionarão mudanças sistêmicas a partir da mente inconsciente do indivíduo, sendo esta mente responsável por 95% de nossos comportamentos, sentimentos, escolhas, etc.

A Hipnose Ericksoniana é uma filosofia de vida e, talvez, seja interessante que todos nós vivamos hipnoticamente conscientes. Embora esta frase pareça estranha, ela é assertiva já que vivemos a maior parte do tempo em transe. Ficamos hipnotizados pelas nossas crenças, pelos nossos medos, pelo nosso jeito de ser, pelo ganhar dinheiro, pelo que achamos certo, pelo o que achamos errado. São tantos transes!

Alguns transes são positivos e outros negativos, mas, enfim, a questão é que quando não sabemos que estamos fixados, hipnotizados, limitados por uma ideia ou qualquer coisa que seja, estamos em um transe de forma inconsciente e a hipnose é uma das formas de ampliar a consciência através dos transes que ESCOLHEMOS ter e que queremos fazer.

Essa é uma grande diferença e uma grande mudança. Acredito que este é um bom começo de reflexão. QUANDO MAIS SABEMOS, MAIS CONHECEMOS, MAIS COMUNICAMOS!