Sempre afirmam que a base para qualquer relação é a comunicação perfeita. Se você quer desenvolver um laço de confiança com seus filhos, converse com eles. O mesmo vale para casamentos, profissão, amizades, e muitas outras áreas que abrangem o nosso convívio diário.

Quando afirmamos que a comunicação é a chave para o sucesso, não afirmamos apenas que basta saber utilizar as palavras certas e o tom de voz correto para alcançar seu ouvinte, mas, sim, que todos os integrantes de uma conversa estejam presentes e disponíveis para aquele momento, para que, assim, a troca de experiências seja caracterizado como um lugar seguro para todos que participam.

A frase popular “falar com as paredes” ilustra com perfeição o que é estar disponível. Em todas as áreas de nossas vidas, principalmente em nossa profissão e no mundo corporativo, exigimos que nós mesmos sejamos multitarefas. E, ao exigir isso de nós, aumentamos sensivelmente o grau de ansiedade, perdemos o foco e perdemos, também, a noção das prioridades.

Quantas vezes você já pediu para alguém repetir uma informação porque você não estava disponível e conectado àquele momento? Quantas vezes você teve que repetir a informação porque o ouvinte estava prestando atenção a outras atividades?

O estar disponível e conectado com o momento da interação não é somente função do locutor ou do ouvinte. A comunicação é definida pela interação de duas ou mais pessoas, por isso, todos os participantes devem estar presentes, disponíveis e conectados ao momento. Uma mãe ou um pai não conseguirá criar uma comunicação de sucesso com seu filho enquanto ele não prestar a devida atenção ao que está sendo dito. Da mesma maneira, um funcionário não conseguirá transmitir informação alguma a seu chefe se os dois estiverem com a atenção focada em outras atividades.

No contexto da Hipnose Ericksoniana, esta interação entre locutor e ouvinte pode criar o que Milton Erickson denominou de Campo Relacional, um ambiente acolhedor, baseado na comunicação tranquila, centrada no coração, não preconceituosa e receptiva. Se, durante a interação, prevalecer as premissas do Campo Relacional, estará garantido o espaço e o profundo sentimento de que é realmente seguro ser quem se é, sem medo de sofrer julgamentos.

“Quando o campo relacional é definido pela aceitação e interação mútua incondicional, ele se converte em um campo profundamente transformacional. Este campo transformacional é o portal para a sabedoria e a compreensão mais profundas, que são o centro da experiência, do crescimento, da cura (heal) e da evolução humanas”, afirma Dr. Stephen Paul Adler, presidente do ACT Institute e trainer dos cursos de Hipnose Ericksoniana.

Se analisarmos a rotina diária, veremos que são criados diversos campos relacionais, caracterizados como neutros, positivos e negativos, e cabe a nós aprender como administrá-los e obter o melhor aprendizado da situação.

Aproprie-se desta ferramenta e crie este espaço sagrado com seus familiares, amigos e no seu ambiente de trabalho, também, afinal de contas, o seu sucesso depende de uma ótima comunicação em grupo e da criação deste espaço relacional. A aceitação incondicional de si mesmo e do outro, ato resultante do campo relacional, permite a transformação tanto da mente como do corpo de cada integrante.

A partir deste momento, lembre-se sempre, durante suas interações, que os níveis mais profundos de cura (heal) e crescimento acontecem no campo transformacional. Quando isso acontece, você cria, por definição, um espaço sagrado.