Mesmo em meio a comunidade acadêmica podemos encontrar mitos sobre a depressão circulando consultórios de colegas formados. Bons profissionais não são resultado da conquista de um diploma mas sim de uma busca constante por conhecimento e aperfeiçoamento dos métodos.

 

Assim como a ciência está em avanço progressivo, a psicologia também acompanha a evolução das pesquisas, que por sua vez oferecem informações que se adequam cada vez mais em nossa sociedade, assim como na forma como aplicamos nossos métodos de cura.

 

O que acreditávamos como verdade irrefutável há alguns anos, hoje já não podemos considerar como válido em nosso contexto social, e se antes a medicação era a única saída para nossos pacientes, hoje podemos usufruir de uma série de novas práticas que auxiliam completamente no processo de cura.

 

Este é apenas um exemplo sobre como os mitos e as verdades em nossa comunidade estão em constante atualização, além desse, podemos citar:

 

Não há diferença entre depressão e estar deprimido

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

Pode parecer um conceito simples mas há pouco tempo você poderia facilmente encontrar diversos profissionais com uma enorme dificuldade para diferenciar entre o diagnóstico de depressão e estar deprimido. A tristeza profunda pode ser momentânea ou pode estar atrelada ao diagnóstico definitivo de depressão que se trata de uma doença e não um estado emocional condicional.

 

Manter uma mente positiva pode curar a depressão

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

Há quem acredite que a reafirmação constante de pensamentos positivos irá curar definitivamente a depressão. E apesar da capacidade do inconsciente ser ilimitada, repetir várias  vezes que você irá ficar bem não fará com que você seja completamente curado. O acompanhamento profissional é fundamental para que o tratamento ideal seja realizado de forma responsável.

 

A única solução para depressão são os medicamentos

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

Talvez um dos maiores mitos sobre depressão esteja atrelado a forma como a tratamos, que definitivamente não se limita a apenas uma maneira. Há quem ainda acredite que fatores externos não influenciam e que a doença pode apenas ser curada através de medicamentos.

 

Hoje felizmente é possível comprovar a efetividade de outros meios de tratamento para pacientes diagnosticados com depressão, como a hipnoterapia por exemplo.  Saiba mais sobre o assunto clicando aqui.

 

Não há como acessar o inconsciente de quem tem depressão

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

Freud certa vez afirmou que o inconsciente poderia ser assimilado à um “caldeirão fervilhante e indomável”, acreditava que por mais assombroso que fosse sua influência em nossa mente, não seria possível comunicar-se de forma efetiva à ponto de transformar crenças e más experiências.

 

Alguns anos depois, um de seus estudiosos conseguiu comprovar o contrário, durante anos de pesquisa e trabalho em campo, Milton Erickson conseguiu efetividade na cura de pacientes com depressão através da comunicação efetiva com o inconsciente, método que hoje chamamos de hipnose ericksoniana.

 

Ela é a responsável por transformar a hipnose clássica e trazer uma nova perspectiva à terapeutas que procuravam uma prática inovadora e efetiva para tratar pacientes com depressão. Quer saber mais sobre essa nova metodologia? Acesse: http://actinstitute.org/treinamentos

 

Até a próxima,

Act Institute.